Meteorologia

  • 13 AGOSTO 2022
Tempo
28º
MIN 18º MÁX 28º

IL diz que privatização da Azores Airlines não pode esperar por 2025

O deputado da IL/Açores defendeu hoje que o Governo Regional deve "fechar ou vender" a Azores Airlines (responsável pelas ligações aéreas com o exterior), considerando que a privatização é uma "prioridade política" que "não pode esperar" por 2025.

IL diz que privatização da Azores Airlines não pode esperar por 2025
Notícias ao Minuto

17:19 - 05/07/22 por Lusa

Economia Açores

Em comunicado, Nuno Barata lamenta as afirmações do líder do executivo açoriano, José Manuel Bolieiro, que deixou hoje uma "palavra de reconhecimento" e "gratidão" aos trabalhadores da SATA, que realizaram "sacrifícios" para "salvar a empresa".

"Mais do que cortar nos ordenados dos funcionários e agradecer os sacrifícios que todos têm feito pela empresa, o que o Governo Regional deve fazer é fechar ou vender a SATA Internacional [Azores Airlines]", afirma o deputado liberal.

Nuno Barata insiste que a privatização da Azores Airlines, que já está prevista no Plano de Reestruturação do grupo aprovado pela Comissão Europeia, "não pode esperar" por 2025.

"[A privatização] não pode esperar para 2025, como se prepara o Governo Regional para fazer. [...] A venda ou encerramento da Azores Airlines deve ser uma prioridade política a concretizar até ao fim desta legislatura", defende.

Juntamente com o Chega e o deputado independente Carlos Furtado (ex-Chega), a IL é um dos partidos que suporta parlamentarmente o Governo dos Açores de coligação PSD/CDS-PP/PPM.

Considerando a SATA "o mais importante instrumento de desenvolvimento e coesão regional", Nuno Barata lembra que os trabalhadores da companhia aérea sofreram três cortes salariais na última década.

"Não são os trabalhadores que têm de fazer sacrifícios. É o Governo, enquanto acionista, que tem de fazer o seu trabalho e não o tem feito. O mais fácil é pedir sacrifícios aos trabalhadores. O mais difícil é tomar as decisões corajosas e certas para garantir o futuro", afirma.

O liberal realça ainda que a SATA está a "pagar tão mal" que "já ninguém quer ir trabalhar para a empresa", uma vez que "este verão foi o cabo dos trabalhos para encontrar funcionários".

O presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, deixou hoje uma "palavra de reconhecimento" e "gratidão" aos trabalhadores da SATA, que realizaram "sacrifícios" para "salvar a empresa", e enalteceu a "paz social" na reestruturação da transportadora aérea.

Em declarações à agência Lusa e à Antena 1, o líder do executivo açoriano reagiu ao anúncio de que 100 trabalhadores já saíram da companhia aérea SATA desde que foi lançado o primeiro programa de rescisões, em 2020, estando previstas mais 50 saídas até final de 2023.

Na segunda-feira, o presidente da SATA, Luís Rodrigues, revelou que cerca de 100 trabalhadores já saíram da companhia desde que foi lançado o primeiro programa de rescisões, em 2020, e que outros 50 funcionários deverão sair até final de 2023.

Luís Rodrigues adiantou ainda que a reestruturação do grupo contempla uma redução de 10% nos salários, mas não prevê despedimentos coletivos, e destacou que a administração está em "contacto permanente com os sindicatos".

Em 07 junho, o presidente do Governo dos Açores confirmou que a Comissão Europeia colocou como "exigência" a privatização até 51% do capital social da Azores Airlines, defendendo que tal "pode ser uma virtude".

Leia Também: PCP quer informações "sem meias palavras" sobre reestruturação da SATA

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório