Meteorologia

  • 25 JUNHO 2022
Tempo
23º
MIN 15º MÁX 23º

Berlim estuda conversão de Nord Stream II em terminal de gás líquido

O ministério da Economia alemão está a considerar converter parte do controverso gasoduto Nord Stream II numa ligação para um terminal de gás líquido na costa báltica, de acordo com a revista alemã Der Spiegel.

Berlim estuda conversão de Nord Stream II em terminal de gás líquido
Notícias ao Minuto

24/06/22 11:32 ‧ Há 12 Horas por Lusa

Economia Berlim

O Nord Stream II foi construído para transportar gás da Rússia para a Alemanha através do Báltico e, embora tenha sido concluído, não foi posto em funcionamento devido à invasão da Ucrânia.

O plano do ministério, segundo a Der Spiegel, é expropriar a parte do gasoduto que se encontra na Alemanha e separá-la do resto do sistema.

As condutas que vão do continente ao mar poderiam ser ligadas ao terminal móvel de gás líquido.

O gasoduto está ligado a um sistema de distribuição que pode fornecer gás para o sul da Alemanha.

Tecnicamente, a operação é considerada viável, mas há uma série de questões legais que teriam de ser resolvidas.

A empresa pública russa Gazprom, que faz parte do consórcio que deveria gerir o gasoduto, poderia rejeitar o acordo.

Alguns executivos da empresa esperam mesmo que o oleoduto fique operacional dentro de dois a três anos quando a guerra terminar e as relações entre a Rússia e a Alemanha normalizarem.

Um receio em Berlim, segundo a Der Spiegel, é que a medida provoque reações na Rússia sob a forma, por exemplo, de expropriações de empresas alemãs.

O ministério recusou-se a confirmar ou negar os planos, e um porta-voz limitou-se a dizer que as possibilidades de construção de terminais de gás líquido ainda são procuradas e que a utilização das infraestruturas existentes pode ser uma alternativa.

A construção do Nord Stream II gerou fortes tensões entre a Alemanha e os EUA, assim como entre a Alemanha e vários países da Europa de Leste.

A construção do Nord Stream I, outro gasoduto já em funcionamento, já tinha sido criticada por aumentar a dependência energética da Alemanha em relação à Rússia e por danificar os gasodutos através da Polónia e Ucrânia.

Atualmente, uma das prioridades do Governo alemão é reduzir radicalmente a dependência energética da Rússia.

Leia Também: Clima empresarial na Alemanha cai em junho - Ifo

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório