Meteorologia

  • 17 MAIO 2022
Tempo
17º
MIN 17º MÁX 24º

Burkina Faso. Standard & Poor's desce rating para CCC+

A agência de notação financeira Standard & Poor's (S&P) desceu o 'rating' do Burkina Faso para CCC+, na sequência do golpe militar que depôs o Presidente, antevendo que os acontecimentos podem piorar a avaliação da qualidade do crédito.

Burkina Faso. Standard & Poor's desce rating para CCC+
Notícias ao Minuto

11:43 - 27/01/22 por Lusa

Economia Golpe militar

"Em resultado do aumento dos riscos financeiros, políticos e económicos, baixámos o nosso rating sobre a moeda local e estrangeira de B para CCC+/C, e colocámos o país em CreditWatch [avaliação permanente sobre a qualidade do crédito]", lê-se na nota enviada à Lusa.

A S&P afirma que "a qualidade do crédito do Burkina Faso pode deteriorar-se nos próximos meses, devido à incerteza política, que pode limitar a capacidade do Burkina para servir a sua dívida comercial, ou por reduzido acesso a financiamento, dificuldades administrativas, ou pelo desvio de recursos financeiros por parte dos militares, que serviriam para suportar o serviço da dívida".

Este golpe, concluem os analistas da S&P, "pode desestabilizar não só o Burkina Faso, mas também levar a abrangentes sanções económicas e financeiras por parte da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), tal como já tomou contra o vizinho Mali na sequência de um recente golpe militar".

O Presidente Roch Marc Christian Kaboré foi derrubado por um corpo militar liderado por um tenente-coronel, Paul-Henri Sandaogo Damiba, que lidera agora o chamado Movimento Patriótico para a Salvaguarda e Restauração (MPSR).

O MPSR começou por anunciar a dissolução ou suspensão das instituições da República, bem como o encerramento das fronteiras aéreas do Burkina Faso, mas estas foram reabertas logo na terça-feira, tal como as fronteiras terrestres para certos produtos, o que parece indicar que a junta militar no poder não tem medo de um "contra-ataque" e está a controlar os vários corpos do exército.

Sandaogo Damiba, um especialista na luta contra os grupos terroristas, que atacam população e instituições do país desde 2015, deverá reunir-se hoje com a hierarquia do exército, assim como com altos funcionários da administração pública para discutir assuntos correntes, enquanto o país aguarda a formação de um novo Governo.

O golpe no Burkina Faso, que sucede aos golpes no Mali e na Guiné-Conacri, foi condenado pela comunidade internacional, que exige a "libertação imediata" do Presidente derrubado.

Josep Borrell, o chefe da política externa da União Europeia, advertiu hoje que "se a ordem constitucional não for restaurada", haverá "consequências imediatas na parceria [europeia] com o país".

A CEDEAO deverá realizar uma "cimeira extraordinária" nos próximos dias, que pode resultar na imposição de sanções ao país.

União Africana e ONU condenaram igualmente o golpe de Estado. O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse que "os golpes militares são inaceitáveis".

A única voz dissidente veio de Moscovo, onde o empresário Yevgeny Prigozhin, próximo de Vladimir Putin e líder do grupo paramilitar Wagner, presente em vários países africanos, saudou o golpe como sinal de uma "nova era de descolonização" em África.

O Presidente Kaboré, no poder desde 2015 e reeleito em 2020 com a promessa de colocar um ponto final no aumento dos ataques terroristas no país, vinha a ser cada vez mais contestado por uma população atormentada pela violência de vários grupos extremistas islâmicos e pela incapacidade das forças armadas do Burkina Faso responderem ao problema da insegurança.

Na terça-feira de manhã, centenas de manifestantes desceram à Praça da Nação, no coração de Ouagadougou, em apoio aos golpistas.

Leia Também: Burkina Faso. CEDEAO deve mostrar flexibilidade na reunião de sexta-feira

Notícias ao Minuto nomeado para os Prémios Marketeer

O Notícias ao Minuto é um dos nomeados da edição de 2022 dos Prémios Marketeer, na categoria de Digital Media. As votações decorrem até ao próximo dia 31 de maio.

Para nos ajudar a vencer, basta aceder ao site da iniciativa organizada pela revista Marketeer, clicando aqui, e proceder ao preenchimento do formulário, selecionando Notícias ao Minuto na categoria de Digital Media e formalizando depois a votação. Obrigada pela sua preferência!

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório