Meteorologia

  • 20 OUTUBRO 2021
Tempo
19º
MIN 16º MÁX 26º

Edição

China vai "endurecer" regulamentos para áreas importantes da sua economia

O Governo chinês anunciou hoje que vai regular, nos próximos anos, áreas vitais da sua economia, incluindo ensino, saúde ou transportes, após ter introduzido várias medidas em lucrativas indústrias, enervando os investidores.

China vai "endurecer" regulamentos para áreas importantes da sua economia
Notícias ao Minuto

12:15 - 12/08/21 por Lusa

Economia China

As autoridades têm sido particularmente intransigentes, nos últimos meses, com o setor da Internet.

Vários gigantes do setor foram multados por práticas até então toleradas e generalizadas, principalmente em questões de dados pessoais, concorrência e direitos do utilizador.

Pequim estendeu já a sua campanha de "retificação" a outros setores, incluindo as indústrias emergentes de aulas particulares de acompanhamento ou das entregas ao domicílio.

As medidas fizeram com que as ações de dezenas de empresas chinesas afundassem nas praças financeiras de Hong Kong e dos Estados Unidos.

No documento que apresenta as principais orientações até 2025, o Governo chinês pediu que a "aplicação da lei seja fortalecida em áreas-chave" da economia. Isto inclui saúde, serviços financeiros, educação e transporte.

"Quem infringir a lei terá que pagar o preço", lê-se no documento, que sugere um sistema de "recompensa" para os denunciantes.

As diretrizes devem permitir o "desenvolvimento saudável" de novos setores da economia, como a inteligência digital ou a inteligência artificial, com "boas leis e boa governação".

Isto sugere que o aperto regulatório na China está "destinado a prolongar-se", disse o analista Ken Cheung, do Bank Mizuho.

Com regulações mais rígidas, os investidores estrangeiros terão que "reavaliar" as perspetivas para o país asiático, alertou Cheung.

Essas orientações pesaram hoje sobre os mercados de ações chineses.

O índice Hang Seng, de Hong Kong, perdeu 0,53%, enquanto a bolsa de Xangai encerrou com uma queda de 0,22%.

Leia Também: China recusa protestos sobre condenações de cidadãos canadianos

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório