Meteorologia

  • 25 JULHO 2021
Tempo
25º
MIN 18º MÁX 27º

Edição

Greve no Metro de Lisboa registou adesão de 93% dos trabalhadores

A greve parcial no Metropolitano de Lisboa, realizada hoje entre as 05:00 e as 09:30, registou uma adesão de 93% dos trabalhadores da parte operacional e manutenção, disse Anabela Carvalheira, da Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (FECTRANS).

Greve no Metro de Lisboa registou adesão de 93% dos trabalhadores
Notícias ao Minuto

18:54 - 24/06/21 por Lusa

Economia Fectrans

"Na parte operacional e manutenção, nós podemos fazer um balanço que ronda muito perto dos 93%, sendo certo que o êxito desta greve só será possível avaliar se for consequente e se efetivamente resultar daqui alguma aceitação ou, aliás, algum retorno por parte quer do Governo, quer da administração da empresa, situação que nós vamos ficar a aguardar", afirmou a dirigente sindical da FECTRANS, em declarações à agência Lusa.

A greve da generalidade dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa decorreu entre as 05:00 e as 09:30, enquanto o setor administrativo e técnico fez greve entre as 09:30 e as 12:30, sem impacto na circulação do metro.

Na sequência da greve, a circulação de comboios hoje iniciou-se apenas a partir das 10:15, uma vez que, de acordo com o acórdão do Tribunal Arbitral publicado no domingo, não foram determinados serviços mínimos durante o período de protesto dos trabalhadores.

"Ainda não tenho as informações totais, porque temos muitos trabalhadores administrativos em teletrabalho, motivo pelo qual não é fácil fazermos o balanço", referiu Anabela Carvalheira.

No âmbito desta greve, a FECTRANS vai reunir-se com as restantes organizações sindicais na próxima semana, em princípio na quarta-feira, para avaliar o impacto desta ação de luta e a possibilidade de novos protestos dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa.

"Só nessa altura é que estaremos em condições de poder dizer qual vai ser o passo seguinte", indicou a sindicalista, sem adiantar informações sobre a possibilidade de uma nova greve.

Entre as reivindicações dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa estão "a prorrogação da vigência do Acordo da Empresa, o cumprimento inclusive do atual Acordo da Empresa, a contratação de novos trabalhadores e a possibilidade de progressão na carreira de alguns trabalhadores para que melhorem claramente as suas condições de trabalho", apontou Anabela Carvalheira, referindo que a empresa está "muito depauperada" de trabalhadores em algumas áreas, particularmente em áreas de chefia.

O aumento salarial é outra das exigências dos trabalhadores, porque é um direito que "nos últimos anos, infelizmente, não tem sido efetivamente tido em conta" por parte da empresa, referiu a sindicalista da FECTRANS.

O pré-aviso da greve parcial realizada hoje foi entregue após uma reunião com o Conselho de Administração da empresa, realizada em 02 de junho, na qual não foi possível chegar a um entendimento sobre o estrito cumprimento e a prorrogação da vigência do Acordo de Empresa.

A Lusa solicitou à empresa Metropolitano de Lisboa um balanço desta greve e um ponto de situação sobre as negociações com as organizações sindicais representativas dos trabalhadores, aguardando ainda uma resposta.

Leia Também: Greve no metro do Porto sem impacto na circulação mas "luta continuará"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório