Meteorologia

  • 17 OUTUBRO 2021
Tempo
17º
MIN 17º MÁX 23º

Edição

Bolsas europeias em baixa à espera da inflação na zona euro e das atas

As principais bolsas europeias abriram hoje em baixa, pendentes da publicação das atas da reunião de política monetária da Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed) e da taxa de inflação na zona euro.

Bolsas europeias em baixa à espera da inflação na zona euro e das atas
Notícias ao Minuto

09:55 - 19/05/21 por Lusa

Economia Fed

Cerca das 08:55 em Lisboa, o EuroStoxx 600 recuava 1,05% para 438,35 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt desciam 0,95%, 0,81% e 1,09%, bem como as de Madrid e Milão, que se desvalorizavam 0,49% e 0,63%, respetivamente.

Depois de abrir em baixa, a bolsa em Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 08:55, o principal índice, o PSI20, recuava 0,50% para 5.252,35 pontos.

Hoje vão ser publicadas as atas da última reunião da Fed, com grande protagonismo devido ao debate surgido nas últimas semanas sobre a transitoriedade da subida da inflação nos EUA e o impacto desta na política monetária dos bancos centrais, afirmam analistas citados pela Efe.

Também hoje, na zona euro deverá confirmar-se o dado final da taxa de inflação em abril, cuja estimativa aponta para uma aceleração da mesma, enquanto a presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, dará uma intervenção e se espera que reitere a manutenção de uma política expansionista durante ainda um ainda longo período.

O mercado de Wall Street terminou em baixa na terça-feira, depois da publicação dos dados da habitação piores que os esperados e devido aos receios de que uma aceleração persistente da inflação nos EUA provoque uma subida dos juros.

Na quarta-feira da semana passada, a divulgação da taxa de inflação nos EUA em abril, que foi superior ao previsto, já tinha afundado a bolsa de Wall Street e provocado uma nova subida dos juros das dívidas soberanas a nível mundial, que hoje mantinham a tendência ascendente, na Europa em diversos casos a avançarem para máximos desde o verão do ano passado.

No mercado da dívida, os juros da dívida dos Estados Unidos a 10 anos, os que mais preocupam os investidores, também estavam hoje de manhã a subir.

Em abril, o Banco Central Europeu (BCE) não estava preocupado com o aumento da inflação na zona euro, que espera ser algo "temporário", segundo as atas da reunião de política monetária de 22 de abril, publicadas na sexta-feira.

Naquela reunião, o BCE reiterou que iria aumentar as compras semanais de dívida, numa altura em que o forte aumento dos preços nos EUA continua a provocar uma subida generalizada dos juros das dívidas soberanas.

A bolsa de Nova Iorque terminou em baixa na terça-feira, com o Dow Jones a descer 0,78% para 34.060,66 pontos, contra o atual máximo de sempre desde que foi criado em 1896, de 34.777,76 pontos, registado em 07 de maio.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a desvalorizar-se 0,56% para 13.303,64 pontos, contra o máximo de 14.138,78 pontos, registado em 26 de abril.

A nível cambial, o euro abriu em alta no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,2236 dólares, contra 1,2217 dólares na terça-feira e o atual máximo desde maio de 2018, de 1,2300 dólares, em 05 de janeiro.

O barril de petróleo Brent para entrega em julho abriu em baixa no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, a cotar-se a 68,01 dólares, contra 68,71 dólares na terça-feira e 69,46 dólares em 17 de maio.

Leia Também: Ramalho é ouvido no Parlamento sobre o Novo Banco. Acompanhe aqui

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório