Meteorologia

  • 16 JUNHO 2021
Tempo
24º
MIN 18º MÁX 24º

Edição

Queda histórica: PIB contraiu 7,6% em 2020 e 5,9% no 4.º trimestre do ano

A contração da economia portuguesa no ano passado é "a mais intensa da atual série" do INE e revela a dimensão do impacto da pandemia da Covid-19 nas contas nacionais.

Queda histórica: PIB contraiu 7,6% em 2020 e 5,9% no 4.º trimestre do ano

Num ano marcado pela pandemia da Covid-19, a economia portuguesa registou uma contração histórica do produto interno bruto (PIB) de 7,6% no conjunto de 2020, de acordo com os dados preliminares divulgados, esta terça-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Este valor é, ainda assim, melhor do que as previsões. No 4.º trimestre, a quebra do PIB foi de 5,9%. 

"No conjunto do ano 2020, o PIB registou uma contração de 7,6% em volume (crescimento de 2,2% em 2019), a mais intensa da atual série de Contas Nacionais, refletindo os efeitos marcadamente adversos da pandemia Covid-19 na atividade económica", pode ler-se no relatório do INE

A explicação é que a procura interna apresentou um expressivo contributo negativo para a variação anual do PIB, após ter sido positivo em 2019, devido, sobretudo, à contração do consumo privado. Além disso, o contributo da procura externa líquida foi mais negativo em 2020, "verificando-se reduções intensas das exportações e importações de bens e de serviços, com destaque particular para a diminuição sem precedente das exportações de turismo", sublinha o INE.

No 4.º trimestre, PIB (ainda) aumentou em cadeia

Na reta final do ano, no 4.º trimestre, o PIB registou uma variação homóloga de -5,9%. "O contributo da procura interna para a variação homóloga do PIB foi menos negativo que o observado no 3.º trimestre, refletindo, em larga medida, a diminuição menos intensa do investimento, apesar da redução mais pronunciada do consumo privado", sublinha o INE.

Por outro lado, a "procura externa líquida apresentou um contributo mais negativo no 4.º trimestre, verificando-se uma contração mais intensa das Exportações de Bens e Serviços que a observada nas Importações de Bens e Serviços". 

Comparativamente com o 3.º trimestre de 2020, o PIB aumentou 0,4% em volume, após as fortes variações de sinal oposto nos trimestres anteriores (-13,9% e +13,3% no segundo e terceiro trimestres, respetivamente). "Os contributos da procura interna e da procura externa líquida para a variação em cadeia do PIB foram ambos positivos", acrescenta o INE

No dia 30 de novembroo INE confirmou que o PIB caiu 5,7% no terceiro trimestre em termos homólogos e recuperou 13,3% em cadeia (face ao segundo), após uma contração de 16,4% observada no segundo trimestre face ao mesmo do ano de 2019, e uma queda de 13,9% em cadeia face ao primeiro.

Quais eram as previsões?

O Governo apontava para uma contração económica de 8,5%, ao passo que a Comissão Europeia e o Conselho das Finanças Públicas esperavam uma queda de 9,3% do PIB, estando o Fundo Monetário Internacional mais pessimista (-10,0%).

Mais otimistas estavam o Banco de Portugal (BdP) e a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), que apontaram para uma queda do PIB de 8,1% e 8,4%respetivamente.

[Notícia atualizada às 9h51.]

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório