Meteorologia

  • 02 DEZEMBRO 2020
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 18º

Edição

FMI prevê aumento de 7,2% do PIB de Espanha em 2021

O Fundo Monetário Internacional (FMI) manteve hoje a previsão de uma queda de 12,8% em 2020 para a economia espanhola e avançou que o país pode ter um crescimento de 7,2% em 2021, sujeito à evolução da covid-19.

FMI prevê aumento de 7,2% do PIB de Espanha em 2021
Notícias ao Minuto

16:09 - 30/09/20 por Lusa

Economia FMI

No relatório anual apresentado hoje em Washington, o FMI precisa que o valor do crescimento para o ano que vem depende de as autoridades espanholas conseguirem conter a propagação da pandemia de covid-19.

O FMI recorda que a saída da crise sanitária atual "vai estar estreitamente ligada à capacidade de limitar novas infeções".

Além disso, a evolução da economia dependerá da dimensão, do calendário e da composição das despesas adicionais financiadas pela União Europeia" no valor de 140 mil milhões de euros.

A instituição pede "um compromisso político renovado" para que Espanha possa regressar à trajetória de crescimento e enfrentar reformas orçamentais que lhe permitam reduzir a dívida, que vai aumentar quase 30 pontos devido à crise do novo coronavírus.

O FMI acredita que os subsídios de desemprego e a assistência social "podem ter de ser temporariamente intensificados (em termos de critérios de elegibilidade, prestações e duração)" para apoiar as pessoas em risco de exclusão a longo prazo.

Caso a crise económica se estenda e haja risco de contágio, o FMI recomenda a utilização de instrumentos como a Sociedade do Estado de Participações Industriais (SEPI) para salvar "empresas sistémicas" com injeções temporárias de capital.

Por outro lado, o Fundo mantém a previsão de aumento da dívida pública, que deverá exceder 120% do Produto Interno Bruto (PIB), e propõe um ajustamento orçamental "gradual" que só deve chegar depois de 2022, quando espera que a economia espanhola "esteja numa trajetória de crescimento sustentável com um desemprego em declínio".

A instituição acredita que deve ser mantida uma vigilância "atenta" do setor bancário para evitar uma forte contração do crédito e a disseminação de ativos duvidosos.

O FMI acredita que após a fusão do Bankia e do Caixabank, "alguma consolidação adicional do sistema bancário" poderá ser aconselhável.

A instituição alerta que estas previsões são feitas num ambiente de grande incerteza a curto e médio prazo: "Uma falha no controlo de novos surtos, um progresso mais lento do que o esperado nas vacinas e tratamentos, um Brexit sem acordo e uma escalada das tensões comerciais poderiam perturbar ainda mais as perspetivas", afirma o FMI.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório