Meteorologia

  • 04 AGOSTO 2020
Tempo
31º
MIN 18º MÁX 31º

Edição

Bruxelas deixa Alstom avançar com segunda maior empresa ferroviária

A Comissão Europeia deu hoje 'luz verde' à compra, pela fabricante francesa de comboios Alstom, do ramo ferroviário da canadiana Bombardier, sendo assim criada a segunda maior empresa do setor a nível mundial, ainda que sujeita a remédios.

Bruxelas deixa Alstom avançar com segunda maior empresa ferroviária
Notícias ao Minuto

14:49 - 31/07/20 por Lusa

Economia Bruxelas

O executivo comunitário informa em comunicado ter aprovado, no âmbito do regulamento de concentrações da União Europeia (UE), a aquisição da Bombardier Transportation pela Alstom, uma aprovação que "está condicionada ao cumprimento integral de um pacote de compromissos oferecido" pelo grupo industrial francês.

A Alstom e a Bombardier são líderes mundiais na área do transporte ferroviário, atuando ambas na produção e fabrico de material circulante de alta velocidade e em soluções de sinalização.

Ao juntarem-se, as duas companhias dão origem à segunda maior companhia do mundo de fabrico de material ferroviário, atrás da chinesa CRRC.

E é para evitar a distorção da concorrência na UE que esta concentração está sujeita a remédios.

A vice-presidente executiva da Comissão Europeia com a pasta da Concorrência, Margrethe Vestager, observa na nota de imprensa que "a Alstom e a Bombardier são os principais fornecedores de comboios de última geração utilizados diariamente por milhões de passageiros em toda a UE".

"Graças às soluções abrangentes oferecidas para resolver os problemas de concorrência nas áreas dos comboios de alta velocidade, da linha principal e da sinalização [...], a Comissão pôde rever e aprovar rapidamente esta transação", notificada a Bruxelas em junho passado, indica Margrethe Vestager.

Isto significa que será, então, possível criar "uma empresa conjunta mais forte", mas que "continuará a ser desafiada nos seus mercados principais, em benefício dos clientes e consumidores europeus", dados os remédios criados.

A decisão hoje anunciada surge depois de, há um ano, Bruxelas ter 'chumbado' a tentativa da Alstom em fundir os seus ativos ferroviários com a Siemens, por ambas as companhias se recusarem a avançar com remédios.

Na altura, o executivo comunitário argumentou que o negócio iria "reduzir significativamente a concorrência" na Europa na área dos comboios de alta velocidade.

Anunciada em setembro de 2017, esta fusão, entretanto bloqueada, iria criar um novo gigante europeu na ferrovia, concorrendo diretamente com o grupo chinês CRRC e com os canadianos da Bombardier.

Sediada em França, a Alstom é uma empresa industrial francesa que produz materiais para comboios (de alta velocidade, mas também para outras composições como metros) e disponibiliza serviços relacionados como manutenção.

Já a Bombardier Transportation é a divisão global das soluções ferroviárias do grupo canadiano.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório