Meteorologia

  • 08 DEZEMBRO 2019
Tempo
16º
MIN 12º MÁX 17º

Edição

Produção de aviões afundou 24% após queda do Boeing 737 Max

Em julho foram entregues 88 aviões, menos 24% face ao ano anterior. A previsão de um Brexit sem acordo está também a penalizar.

Produção de aviões afundou 24% após queda do Boeing 737 Max

A queda do Boeing 737 Max resultou num enorme impacto na indústria da aviação. Os dados mais recentes revelam que a produção de aeronaves caiu 24% no seguimento dois dois acidentes que envolveram aparelhos Boeing 737 Max. 

Segundo o Guardian, que cita dados do grupo ADS, em julho foram entregues 88 aviões, número que significa uma redução de 24% em comparação com o mesmo período do ano passado. 

Em declarações ao mesmo jornal, o presidente executivo da ADS, Paul Everitt, justificou que as perspetivas de um Brexit sem acordo estão a piorar a situação para as empresas britânicas do setor da aviação.

A Airbus, por exemplo, que é maior empresa aeroespacial da Europa, alertou que vai considerar encerrar fábricas britânicas no caso de um Brexit sem acordo.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório