Meteorologia

  • 20 AGOSTO 2019
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 18º

Edição

Principais indicadores do turismo em Portugal aceleram em junho

Os principais indicadores da atividade turística aceleraram em junho, impulsionados pelos mercados interno e externo, com os hóspedes a aumentarem 9,7%, as dormidas a subirem 5,6% e as receitas a crescerem 11,8%, divulgou hoje o INE.

Principais indicadores do turismo em Portugal aceleram em junho
Notícias ao Minuto

12:08 - 14/08/19 por Lusa

Economia INE

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), "em junho de 2019 o setor do alojamento turístico registou 2,7 milhões de hóspedes, que proporcionaram 7,1 milhões de dormidas", refletindo-se em crescimentos de 9,7% e 5,6%, respetivamente (+7,0% e +3,1% em maio, pela mesma ordem).

As dormidas de residentes cresceram 11,6% (+9,1% em maio) e as de não residentes aumentaram 3,2% (+1,2% no mês anterior), totalizando 2,1 milhões e 5,0 milhões de dormidas, respetivamente, o que traduz um peso de 70,0% dos mercados externos.

Em junho de 2019, os proveitos totais da hotelaria em Portugal subiram 11,8% (+4,7% em maio), para 466,0 milhões de euros, e os proveitos de aposento progrediram 12,1% (+4,3% no mês precedente) para 351,6 milhões de euros.

No acumulado do primeiro semestre de 2019, registou-se uma subida de 7,6% nos hóspedes (para 12,2 milhões) e de 4,7% nas dormidas (para 30,5 milhões), com contributos positivos, quer dos residentes (+8,9%), quer dos não residentes (+3%).

Até junho, os proveitos totais subiram 7,6%, somando 1.781,9 milhões de euros, e os proveitos de aposento aumentaram 7,3% para 1.307,7 milhões de euros.

Em comunicado, a secretaria de Estado do Turismo considera que os dados do primeiro semestre demonstram que se está "a conseguir abrir o mapa turístico de Portugal e a reduzir a sazonalidade, com os maiores crescimentos em proveitos a serem registados no Alentejo (+16,2%), no Norte (+13,2%) e também nos Açores (+11,6%)".

"A atividade turística continua com grande dinamismo, a crescer ao longo do território e ao longo de todo o ano, mesmo depois de um ano de recordes como foi 2018. Portugal é cada vez mais um destino imperdível nos 365 dias do ano e a estratégia de diversificação de mercados que estamos a seguir, atraindo turistas de mercados que deixam mais valor e que viajam ao longo de todo o ano, está a tornar a atividade turística cada vez mais sustentável", afirma a secretária de Estado Ana Mendes Godinho.

Face ao primeiro semestre de 2015, o Governo aponta um aumento de 43,5% em hóspedes e de 68,7% em proveitos.

No que se refere à estada média no mês de junho (2,63 noites), o INE reporta uma redução de 3,7% (descendo 1,7% nos residentes e 3,9% nos não residentes), enquanto a taxa líquida de ocupação (55,5%) aumentou 0,1 pontos percentuais (face ao recuo de 0,8 pontos percentuais em maio).

Quanto ao rendimento médio por quarto disponível (RevPAR), situou-se em 62,5 euros (+6,5%) em junho e o rendimento médio por quarto ocupado (ADR) ascendeu a 96,8 euros (+6,2%).

No mês em análise, os 16 principais mercados emissores representaram 86,9% das dormidas de não residentes nos estabelecimentos de alojamento turístico, sinaliza o INE, destacando o comportamento do mercado norte-americano, que "foi o quinto principal mercado em junho (peso de 6,3% do total das dormidas de não residentes), tendo registado um aumento expressivo de 25,1% neste mês" e uma subida acumulada no primeiro semestre do ano de 21,2%.

Em junho, o instituto estatístico salienta também os aumentos nos mercados brasileiro (+17,7%) e canadiano (+17,5%) e, no acumulado desde janeiro, os crescimentos registados pelos mercados canadiano e chinês (+15,9% em ambos).

Quanto ao mercado britânico (com 21,9% do total das dormidas de não residentes em junho) recuou 1,3% neste mês, após sete meses consecutivos a crescer, e aumentou 1,6% no conjunto dos seis primeiros meses do ano.

Já os hóspedes alemães (12,0% do total) diminuíram 3,7% em junho e 6,8% desde o início do ano e o mercado francês (com 9,0% do total) recuou 5,6% (menos 3,0% desde o início do ano).

O mercado espanhol (8,1% do total) cresceu 9,3% em junho e 8,6% no acumulado desde janeiro.

Em junho, registaram-se aumentos das dormidas em todas as regiões com exceção da Madeira (que baixou 3,4%).

INE destaca os crescimentos apresentados pelo Alentejo (+13,3%), Açores (+12,1%), Norte (+11,7%) e Centro (+11,4%), tendo o Algarve concentrado 34,1% das dormidas registadas no país neste mês, seguido da Área Metropolitana de Lisboa (quota de 24,2%).

Nos primeiros seis meses de 2019, as dormidas na hotelaria (83,6% do total) registaram um aumento de 2,9%, inferior aos demais segmentos: subidas 15,8% no alojamento local (quota de 14,0%) e 9,2% no turismo no espaço rural e de habitação (que representou 2,4% do total).

Os 'hostels' registaram um aumento de 27,8% nas dormidas no primeiro semestre, tendo representado 23,3% das dormidas em alojamento local e 3,3% das dormidas totais neste período.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório