Meteorologia

  • 20 AGOSTO 2019
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 18º

Edição

UGT quer medidas para minimizar efeitos da greve dos camionistas

O secretário-geral da UGT, Carlos Silva, defendeu hoje que o Governo deve adotar medidas para que os efeitos da greve dos camionistas, com início em 12 de agosto, "não sejam perniciosos" para os trabalhadores portugueses.

UGT quer medidas para minimizar efeitos da greve dos camionistas
Notícias ao Minuto

16:24 - 16/07/19 por Lusa

Economia Carlos Silva

O Governo deve "munir-se dos instrumentos necessários para que os efeitos da greve não sejam perniciosos para a generalidade dos trabalhadores portugueses", advertiu Carlos Silva, no final de uma reunião do Secretariado Nacional da UGT realizada em Évora.

O dirigente sindical realçou que o executivo também deve "pressionar" a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) "para ir ao encontro de algumas garantias que foram dadas ao próprio ministro da Infraestruturas", que "deu o corpo ao manifesto na altura".

A intervenção do ministro "assentou aquele clima de paz e pensávamos que poderia perdurar", mas "alguém não cumpriu e é importante que o Governo, já que se meteu da primeira vez, que, agora, pergunte quem é que não cumpre" o acordo, assinalou.

Carlos Silva disse compreender as reivindicações dos sindicatos dos motoristas, mas considerou que, "quando a luta se torna uma constante, quem é prejudicado são os portugueses e os trabalhadores".

"Nós temos espírito de diálogo social e de compromisso. Os outros sindicatos não sei. É importante que o Governo e o país também olhem para aqueles que preferem a luta mais rapidamente do que a paz social e a estabilidade", disse.

Os sindicatos representativos dos camionistas não chegaram a acordo com a ANTRAM e entregaram um pré-aviso de greve, com início em 12 de agosto, após uma reunião de quase cinco horas, na segunda-feira, sob a mediação do Ministério do Trabalho.

Os sindicatos Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM) acusam a ANTRAM de já ter aceitado este acordo e de estar a voltar atrás na decisão, o que a associação desmente.

Na reunião de hoje, em Évora, do Secretariado Nacional da UGT, segundo Carlos Silva, foi aprovada uma resolução que "não diz que está tudo bem" em Portugal e que mostra que "há setores de atividade que vão continuar a luta", independentemente de qual for o próximo Governo.

O mesmo dirigente indicou que a central sindical vai apresentar, em setembro, "uma proposta de salário mínimo nacional", que disse ainda não saber qual será, mas "será algo dentro da moderação e da ponderação que é habitual na UGT".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório