Meteorologia

  • 27 MAIO 2024
Tempo
21º
MIN 14º MÁX 22º

Tanto 'tropeção' já causa abanão no pódio. As notas do FC Porto-Famalicão

Equipa de Sérgio Conceição evitou a terceira derrota consecutiva no campeonato, em vésperas de grandes decisões na Taça de Portugal.

Tanto 'tropeção' já causa abanão no pódio. As notas do FC Porto-Famalicão
Notícias ao Minuto

07:54 - 14/04/24 por Miguel Simões

Desporto Análise

O FC Porto continua a viver um autêntico 'pesadelo' na presente edição da I Liga e, este sábado, não foi além de um empate frente ao Famalicão (2-2), no Estádio do Dragão, num jogo em que até esteve a perder por duas vezes. Com tanto 'tropeção' - o terceiro seguido no campeonato, já depois das derrotas diante de Estoril e Vitória SC -, o conjunto de Sérgio Conceição já sofreu um abanão no pódio, face à igualdade pontual com o Sporting de Braga.

Com cinco alterações no onze (em todos os setores), os dragões não foram propriamente felizes no arranque e foi o emblema minhoto a aproveitar para se colocar na frente do marcador, com um golo de Jhonder Cádiz, ex-Benfica, ao nono minuto da partida.

É certo que a reação não tardou em aparecer, com um autogolo de Youssouf (17'), ao desviar a bola para a própria baliza um cruzamento de Francisco Conceição, mas o Famalicão ainda conseguiu recolocar-se na frente do marcador, antes do intervalo, com o bis de Cádiz (45+1') a 'gelar' os cerca de 30 mil adeptos presentes nas bancadas do Estádio do Dragão.

A tripla mexida de Sérgio Conceição ao intervalo 'empurrou' o FC Porto para uma segunda parte de cariz bem mais ofensivo e, já depois de algumas tentativas (e até mesmos sustos), seria o recém-entrado Taremi a amenizar os estragos, ao assinar o 2-2 final aos 82 minutos.

Até ao apito final, nota ainda para a expulsão de Evanilson, devido a uma cabeçada a Mihaj com o jogo parado, tornando-se mais uma 'dor de cabeça' para Sérgio Conceição na preparação da segunda mão das 'meias' da Taça de Portugal, frente ao Vitória SC (após triunfo por 1-0 na primeira mão), já esta quarta-feira, no acesso à final do Jamor.

Vamos então às notas da partida:

Figura

Esta já é a melhor temporada da carreira de Jhonder Cádiz e, mesmo que ainda não fosse, a exibição no Dragão rapidamente conduziria aos seus melhores dados numa época, uma vez que se destacou com dois golos. Já depois de ter correspondido de forma oportuna ao cruzamento 'venenoso' de Puma Rodríguez, com o golo inaugural ao nono minuto da partida, o internacional venezuelano ainda tratou de fazer o mesmo após passe de Gustavo Sá, aos 45+1', 'gelando' o FC Porto. Até ao final, ainda ameaçou o hattrick.

Surpresa

Mehdi Taremi acabou por ser uma surpresa não só pelo regresso aos golos, mas também pelo facto de ter sido aposta de Sérgio Conceição (para lá de toda a polémica desde o mercado de inverno) durante toda a segunda parte, uma vez que esse foi o seu máximo de minutos disputados num jogo do FC Porto em 2024. O avançado iraniano ainda tentou 'sacar' uma grande penalidade, mas a verdade é que conseguiu chegar ao golo (o 2-2 final) ao aparecer solto na grande área, após cruzamento de Galeno, já aos 82 minutos. Deu, ainda assim, para amenizar os estragos.

Desilusão

Iván Jaime praticamente não apareceu no jogo deste sábado. No reencontro com a sua antiga equipa, o médio espanhol voltou a ser titular sensivelmente um mês e meio depois da última vez, mas acabou por não acrescentar quase nada aos processos ofensivos do FC Porto, para além dos vários duelos perdidos em momentos cruciais. Não foi, por isso, de estranhar que Sérgio Conceição o retirasse de campo ao intervalo, dando lugar a outras setas ofensivas como Mehdi Taremi e Wenderson Galeno.

Treinadores

Sérgio Conceição decidiu promover uma 'revolução' no onze, por comparação ao que utilizou na derrota diante do Vitória SC (1-2), com cindo alterações, em todos os setores, entre castigos, lesões e opções técnicas. Face à quase nula fluidez ofensiva, o treinador do FC Porto percebeu ao intervalo que tinha de dar mais apoios aos homens do ataque e a entrada de Galeno (e até de Taremi por força do golo do empate) foi sintomática dessa mudança, ainda que as suas apostas não tenham sido suficientes para a tão desejada 'cambalhota' no marcador que não surgiu.

Armando Evangelista já tinha provado que este Famalicão poderia estar a lutar por patamares maiores, sendo que, ao terceiro jogo desde a sua chegada, soma duas vitórias e um único empate. O treinador de 50 anos foi 'forçado' a promover duas alterações no onze, face aos castigos de Riccieli e Chiquinho, mas nunca deixou de encarar o adversário olhos nos olhos, de tal forma que até esteve duas vezes em vantagem. As substituições apareceram já dentro dos últimos 25 minutos, de forma estratégica, mas não serviaram para evitar o empate do FC Porto.

Árbitro

Gustavo Correia não teve propriamente um jogo fácil, mas decidiu maioritariamente bem nos lances capitais da partida. O árbitro de 32 anos assinalou muitas faltas, algumas das quais que levaram o público presente no Estádio do Dragão ao desespero, tendo ido ao bolso por oito ocasiões. Para além de sete amarelos, Gustavo Correia foi perentório na hora de expulsar (bem) Evanilson por agressão a Mihaj já nos descontos.

Leia Também: Taremi ameniza má 'Fama' do FC Porto, mas pódio continua em risco

Leia Também: FC Porto voltou a 'escorregar' e o Dragão reagiu com essa assobiadela

Recomendados para si

;

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório