Meteorologia

  • 13 ABRIL 2024
Tempo
24º
MIN 16º MÁX 29º

Notas do Atalanta-Sporting: Edwards abriu a lata no desperdício 'a Potes'

Leões precisavam de uma vitória para lutar pelo primeiro lugar no Grupo D da Liga Europa. De Bérgamo trouxe-se um empate e a certeza de que virá um 'tubarão' da Liga dos Campeões para o playoff.

Notas do Atalanta-Sporting: Edwards abriu a lata no desperdício 'a Potes'
Notícias ao Minuto

07:50 - 01/12/23 por Rodrigo Querido

Desporto Análise

Foi um festival de 'falhanços' de Pedro Gonçalves a que se assistiu em Bérgamo na tarde de quinta-feira. Uma vitória colocava o Sporting na luta pela liderança do grupo da da Liga Europa, mas os leões trouxeram um empate da visita à Atalanta (1-1) e uma certeza quanto ao seu futuro nesta competição europeia.

Mesmo não tendo conseguido o objetivo do primeiro lugar, que daria maior margem de manobra mais à frente na época, o Sporting deixou Itália a saber que irá participar no playoff da Liga Europa, ao beneficiar da vitória do Raków na Áustria contra o Sturm Graz.

O Sporting teve duas partes distintas nesta partida. Uma mais cinzenta, e a recordar a má primeira parte contra os italianos em Alvalade há quase dois meses, e outra em que vulgarizou o adversário. A entrada de Marcus Edwards em campo mudou tudo e apenas uma tarde para esquecer de Pote impediu que os leões voltassem a Lisboa com a merecida vitória, que seria a primeira em Itália, e a certeza de que o primeiro lugar ainda era possível.

Já depois de Scamacca ter deixado a Atalanta a vencer ao intervalo, Rúben Amorim foi ao banco buscar Geny Catamo e Marcus Edwards, que tinha estado envolvido num acidente de viação, uma dupla mexida que quase resgatou o triunfo para os lisboetas na segunda parte.

O avançado inglês empatou a partida a favor do Sporting em cima do minuto 56, e logo com o seu pior pé. Daí em diante houve uma tarde 'negra' de Pote. Em Bérgamo, o médio somou uma mão cheia de oportunidades claras de golo e não foi apenas azar. Se Pote se pode queixar de falta de sorte quando viu uma bola a bater nos dois postes e a andar por cima da linha, no que seria o 2-1 para os leões, o mesmo não de pode dizer de outras ocasiões em que podia e devia ter feito melhor.

Certo é que o Sporting pode festejar a continuidade na Liga Europa, mas regressa a Lisboa com um sabor certamente amargo de não ter conseguido uma vitória que esteve à distância de maior acerto na hora de finalizar. É que, se fizermos as contas, os leões até podiam voltar à capital portuguesa com uma goleada no bolso.

Mas vamos às notas desta partida:

Figura

É caso para dizer que houve um Sporting antes e depois da entrada em campo de Marcus Edwards. O camisola 10 inglês, ainda a recuperar do grande susto que teve na quarta-feira de manhã, baralhou os adversários com as suas arrancadas e conseguiu desestabilizar a defesa da Atalanta. Anotou o golo do empate.

Surpresa

Se a aposta em Edwards ao intervalo foi certeira, o que dizer da entrada de Geny Catamo. O jovem moçambicano deu outro andamento à ala direita dos leões e trouxe consigo um maior ritmo e velocidade que Esgaio não tinha oferecido na primeira parte.

Desilusão

Quem já foi melhor marcador do campeonato português, não pode desperdiçar tanto como Pedro Gonçalves desperdiçou em Bérgamo. O médio só se pode queixar de azar numa das ocasiões de golo que teve. De resto, houve muita desinspiração do internacional português. Quase que deu razão ao facto de Roberto Martínez ainda não o ter chamado à seleção.

Treinadores

Gian Piero Gasperini

A Atalanta entrou muito bem na partida e ao intervalo justificava a vantagem que tinha. No entanto, os italianos pareceram algo perdidos com a reação do Sporting no segundo tempo e só não averbaram uma derrota por culpa do desperdícios dos leões na hora de finalizar. A reta final mostrou uma equipa já conformada com o resultado que tinha em mãos.

Rúben Amorim

Na véspera do jogo em Bérgamo, o treinador tinha dito que o Sporting teria de ser um pouco italiano para conseguir o objetivo de vencer a Atalanta. Os leões não só falharam nesse aspeto, como evidenciaram problemas defensivos nesta etapa inicial. Mas a entrada de Marcus Edwards - assim como a de Catamo - mudou completamente o jogo do Sporting, que foi muito mais ameaçador na segunda parte. A finalização foi o que falhou na etapa complementar, porque a vitória era mais do que merecida.

Arbitragem

Nada a apontar ao trabalho da equipa de arbitragem liderada pelo inglês Michael Oliver.

Leia Também: Edwards ainda fez magia, mas Sporting não evita 'tubarão' da Champions

Recomendados para si

;

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório