Meteorologia

  • 06 DEZEMBRO 2022
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 17º

Ex-Arsenal critica saída de Mané: "Venderam-no por uma chávena de chá..."

Ex-internacional inglês aponta o dedo ao valor baixo da operação.

Ex-Arsenal critica saída de Mané: "Venderam-no por uma chávena de chá..."
Notícias ao Minuto

18:12 - 03/10/22 por Notícias ao Minuto

Desporto Declarações

Paul Merson, antiga lenda do Arsenal, fez, esta segunda-feira, uso do artigo de opinião que assina na página da estação televisiva britânica Sky Sports para explicar as razões que, na sua opinião, estão por detrás do mau arranque de temporada do Liverpool na Premier League.

O ex-internacional inglês aponta a saída de Sadio Mané para o Bayern Munique, a troco de 30 milhões de euros, como uma das causas para o facto dos reds estarem muito abaixo das expectativas.

"Disse-o desde o primeiro dia, na minha opinião, que vender Sadio Mane foi o pior negócio de sempre. Ele marca grandes, grandes golos. Era um rapaz que marcava golos completamente decisivos, era o líder do ataque, e nem digo isto apenas baseado nos números", começou por escrever Merson.

"Simplesmente não entendi porque o venderam. O Darwin Núñez, nem sequer está, neste momento, no mesmo campeonato. Eu não sou uma pessoa de estatísticas, mas para mim, Mané foi um grande jogador para o Liverpool. Para o vender por 30 milhões de libras, o que no mundo da Premier League é uma chávena de chá, não teria sido melhor ficar com ele e deixá-lo ir de graça?", finalizou.

Leia Também: Klopp revela teor da "longa conversa" que teve com Darwin Núñez

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório