Meteorologia

  • 28 MAIO 2022
Tempo
25º
MIN 16º MÁX 27º

"Temos obrigação de ganhar e trazer mais um título para Alvalade"

Rúben Amorim não vê o Benfica com mais "pressão" do que o Sporting pelo facto de não somar títulos há mais tempo.

"Temos obrigação de ganhar e trazer mais um título para Alvalade"
Notícias ao Minuto

18:31 - 28/01/22 por Notícias ao Minuto

Desporto Rúben Amorim

Rúben Amorim confessou, esta sexta-feira, a vontade de "vencer do outro lado e conquistar mais um título pelo Sporting", no reencontro com o Benfica, equipa ao serviço da qual levantou a Taça da Liga. Em conferência de imprensa, o treinador leonino (que se sentou ao lado de Antonio Adán) recusou, ainda, olhar para o eterno rival como estando mais pressionado pelo facto de já não somar títulos desde 2019.

Rúben Amorim

Preocupações com o relvado: Já tivemos muitos problemas aqui com o relvado... Estaremos adaptados. De certeza que a Liga olhou para isso e tentou recuperar o relvado ao máximo. Não será pelo relvado que não será um grande jogo. Se não o for, que seja o Sporting a vencer.

Equipa sentiu falta de Pedro Porro: É um lateral com caraterísticas muito mais ofensivas e o 1x1 faz muita diferença na nossa equipa. É algo que temos de melhorar. O Geny é muito forte nisso, e tentamos ir buscar para isso, assim como o Jovane. Faz-nos muita falta porque é o único lateral com essa grande capacidade. Temos de olhar para tudo. O Esgaio tem estado muito bem, o Esteves também vai bem no 1x1, e tudo é possível. Vamos apresentar um onze muito forte, para ganhar.

Rúben Amorim jogou pelo Benfica quando conquistou a Taça da Liga ao Sporting: Será especial se ganharmos. Se não, será um jogo para esquecer, como sempre. Aí, era uma vida completamente diferente. Eu estava do outro lado e era jogador. Ganhámos nos penáltis, com um caso de arbitragem. Espero vencer do outro lado e conquistar mais um título pelo Sporting.

Benfica pressionado por não vencer troféus desde 2019: O Benfica, de certeza, que não tem pressão do que nós. Não interessa o que já passou, o que já foi ganho ou se o Benfica não ganha há dois anos. A pressão está dos dois lados, e, para mim, está mais do nosso, porque temos de ganhar. É assim que quero que os jogadores pensem. Temos de ganhar. Prova foi que, em 50 e poucos jogos, sofremos duas derrotas e já mexeu um bocadinho com tudo à volta do clube. Temos obrigação de ganhar o jogo, amanhã, e vamos tentar trazer mais um título para Alvalade.

Onze do Sporting é mais previsível: Se formos bastante sinceros, o facto de termos um trabalho de ano e meio, mesmo com o fim da outra época antes, dá-nos vantagens. Não temos a vantagem de conhecer tão bem o onze que o Benfica vai apresentar amanhã, mas temos um conhecimento melhor das nossas rotinas, já passámos por coisas difíceis juntos, já ganhámos títulos e isso dá-nos uma vantagem. Prefiro ter essa vantagem do que a desvantagem de não conhecer o onze do Benfica.

Saída de Tiago Tomás e chegada de Slimani: Em relação ao mercado, daqui a uns dias fecha e estarei cá para responder às perguntas. Tudo será feito de acordo com o que é melhor para toda a gente dentro da minha ideia. Falho muitas vezes, mas o que for feito é acreditando que é certo para o Sporting, tendo em conta o futuro dos jogadores, da equipa, do projeto...

Pedro Porro e Daniel Bragança de volta: Estão aptos e vão ser convocados. Quem for convocado, pode ir a jogo. O Porro teve uma paragem mais prolongada, o Dani não tanto. Tudo entra nas contas, mas estão os dois aptos.

Mais fácil bater Nélson Veríssimo do que Jorge Jesus: É um treinador diferente, com ideias diferentes. Todos os jogos têm a sua história. Não vai ser mais fácil nem mais difícil. Depende se estivermos inspirados, se o Benfica estiver inspirado, do que acontecer nos primeiros lances... É um jogo totalmente diferente do jogo do campeonato. Decide um título e isso mexe com todos os jogadores.

Slimani pode chegar para o lugar de Paulinho: Falhou num dia, vai marcar noutro. Continua a ser, para mim, o melhor avançado português e aquele que quero para a nossa equipa. O que acontecer no mercado, estarei aqui para explicar tudo.

O que mudou desde o último dérbi: O jogo lá foi muito difícil. Matámos quando tínhamos de matar e não sofremos golos. Lembro-me do nosso segundo golo, em que o João Mário esteve em frente à baliza e o Adán defendeu a bola. Às vezes, é muito mais difícil do que parece. Os treinadores são diferentes, com ideias diferentes. O mais notório é o sistema. Jogavam com três defesas, o encaixe era igual à nossa forma de jogar. Acho que vão usar um 4x3x3, com dinâmicas diferentes e jogadores diferentes. Fizemos a mesma preparação, olhámos até para o jogo que foi já há dois anos, que o mister Veríssimo fez contra nós e ganhou. Tentámos retirar o máximo de informação e estamos preparados para o jogo.

Importância de conquistar a Taça da Liga: Não penso que vá condicionar. Estamos num clube grande, que tem de vencer títulos. Estamos na final, tudo pode acontecer. Estou muito confiante que vamos vencer. Aconteça o que acontecer, teremos as próximas competições. Ganhando, não muda nada. Acabou, vai para o museu, preparamos o resto. Se não acontecer, igual. Há o desgosto de não vencer um troféu. Em vez de serem quatro troféus em ano e meio, serão três. A vida continua igual. O que queremos é vencer o jogo.

Adán

Regresso dos adeptos à Taça da Liga: Não significa pressão acrescida. É uma motivação adicional senti-los de perto. No ano passado, não foi possível. É uma parte fundamental do que esta equipa está a crescer. É claro que, numa final, é muito importante tê-los connosco.

Defesa sem Coates: É um jogador importantíssimo para nós. Demonstrou-o durante todo este tempo, não só pela forma de jogar, que todos conhecemos, mas também pela liderança do grupo. É claro que o sentimos próximo. Falamos muitas vezes com ele. A mensagem que nos fez chegar é que está connosco, mesmo à distância. Ele sabe do que esta equipa é capaz. Ele não está, mas estará outro jogador que estará igualmente bem.

Treinou penáltis: Trabalhámos como habitual. Trabalhámos todas as facetas do jogo, trabalhámos bolas paradas, penáltis, na defesa, no ataque... Claro que, nesta taça, decide-se diretamente nos penáltis. É mais uma faceta para trabalhar, e foi o que fizemos.

O que espera do Benfica: Defrontamos uma super-equipa, com grandes jogadores. É o Benfica. Independentemente do momento que possa atravessar, continua a ser o Benfica, ainda para mais numa final. Será 50/50 para as duas equipas, com muita ambição. Preparámos muito este jogo para voltar a ganhar.

Jogo especial: Esta taça traz-nos boas memórias. Chegamos num outro momento, estamos muito melhor. Passado um ano, a equipa cresceu, está mais experiente e tem outra mentalidade, mas mantém a vontade de ganhar.

Antevisão

É já este sábado que Sporting e Benfica medem forças no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, em busca de conquistar a Taça da Liga, o primeiro troféu do futebol português de 2022.

Antes disso, esta sexta-feira, Rúben Amorim e um jogador irão passar pela sala de imprensa do estádio de Alvalade, para antever o tão aguardado dérbi lisboeta.

Fique com o Desporto ao Minuto e acompanhe, a partir das 18h00 (hora de Portugal Continental), a conferência de imprensa do conjunto verde e branco.

Leia Também: Nélson Veríssimo 'avisa' Sporting: "O foco é ganhar e trazer o título"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório