Meteorologia

  • 26 OUTUBRO 2021
Tempo
24º
MIN 14º MÁX 25º

Edição

"Não é vergonha nenhuma ter sido suplente de Nuno Mendes"

Defesa-esquerdo confessa que saída do clube de Alvalade era inevitável.

"Não é vergonha nenhuma ter sido suplente de Nuno Mendes"

Vitorino Antunes, jogador do Paços de Ferreira, concedeu esta quinta-feira uma extensa entrevista ao jornal Record, na qual recordou a passagem pelo Sporting, que culminou com o título de campeão nacional na época passada.

O internacional português confessa que a época passada foi "maravilhosa", mas confessou que saída do campeão nacional era inevitável face aos poucos minutos de jogo que tinha em Alvalade.

"Depois da lesão que tive no joelho, passei um ano com menos tempo de jogo no Sporting, no qual me deram um papel importante, sem dúvida, mas um jogador vive de jogar futebol. Quero sentir-me útil dentro de campo e fora dele. Precisava de sentir isso outra vez. Custava chegar a casa, ou na rua, e ouvir amigos a dizer que se calhar eu já tinha acabado para o futebol. Queria demonstrar que ainda estava vivo. Surgiu esta oportunidade de regressar ao P. Ferreira", começou por dizer Antunes, antes de analisar o pouco tempo de jogo que teve na época passada.

"Podia treinar a 200 por cento e fazer um grande treino mas no fim-de-semana ia jogar o Nuno Mendes. Era essa a realidade do clube. Era um grande ativo do clube, um enorme jogador, isso está fora de questão, mas eu precisava de sentir outra vez isto: treinar bem sem saber que não vou jogar e não acabar o jogo e saber que no seguinte já não jogava. Consegui ter um ano assim, sabendo que não ia jogar no fim-de-semana a seguir e mesmo assim chegar ao treino e ser o melhor a treinar. Não é para todos. Fui muito feliz no Sporting, mas não estou arrependido por sair porque também sou muito feliz aqui no Paços", acrescentou.

Questionado sobre a evolução de Nuno Mendes, hoje no Paris Saint-Germain, Antunes confessou que não tem vergonha de ter sido suplente do jovem jogador, nomeado para o prémio de melhor sub-21 da Europa esta época.

"Tem um futuro incrível pela frente. Margem de progressão enorme, tem 19 anos, já joga no Paris SG e é titular na Seleção. Está à vista de todos e para mim não é vergonha nenhuma ter passado um ano inteiro como suplente de um menino que está nomeado para melhor sub-21 do Mundo. Depois do último ano com ele não me surpreende em nada vê-lo na situação em que está, assim como não me vai surpreender daqui a 5 ou 10 anos quando ele for mesmo o melhor lateral-esquerdo do Mundo. Não me vai surpreender nada porque a margem de progressão que ele tem é enorme e vai ter um futuro incrível", atirou.

Antunes falou ainda sobre o seu vídeo de despedida do Sporting, imagens nas quais Rúben Amorim diz ter sido um orgulho orientar o esquerdino.

"Nunca ninguém me pôs do Sporting para fora. Ninguém chegou ao pé de mim e disse ‘Antunes, tens de sair daqui’. Não. O que me disseram é que, provavelmente, iria ter menos tempo de jogo do que desejava. Sabiam que no meu sangue estava o bichinho para jogar sempre e que se quisesse sair eles iam entender isso. A minha decisão passou um bocadinho por aí quando foram buscar mais um lateral-esquerdo, sem saber se o Nuno Mendes ia ser vendido ou não. Não queria acabar a minha carreira, se ficasse mais um ano sem jogar seria o meu fim. Não vale a pena ser hipócrita. Três anos seguidos sem jogar, um por lesão, dois por falta de minutos, com 35 anos, ia ser muito difícil encontrar um clube para voltar a jogar", finalizou.

Leia Também: Sporting prossegue 'Operação Taça' e já conta com alguns internacionais

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório