Meteorologia

  • 28 OUTUBRO 2021
Tempo
18º
MIN 13º MÁX 23º

Edição

Porro foi o dono da estrelinha: As notas do Sporting-Marítimo

Leões receberam e venceram os insulares em Alvalade, marcando o golo do triunfo já na compensação.

Porro foi o dono da estrelinha: As notas do Sporting-Marítimo

Igual a si próprio, o Sporting entrou a querer mandar no jogo, a construir a partir da defesa, a transportar a bola até ao ataque, mas pela frente apanhou um Marítimo muito competente na hora de defender. Aos poucos, a equipa de Amorim foi encontrando algum espaço de manobra e, quase sempre, isso aconteceu pelos pés de Sarabia. O espanhol serviu duas vezes Nuno Santos, que não conseguiu finalizar da melhor forma. Numa das ocasiões viu o golo ser negado por Paulo Victor, na outra foi a trave que disse ‘não’ ao 11 dos leões.

Sarabia quis também ele tentar a sua sorte e não se fez rogado. Num remate de meia distância, o espanhol apanhou a bola no ar e, de primeira, tentou alvejar a baliza insular. Uma autêntica bomba que apanhou novamente Paulo Victor pelo caminho.

Pode dizer-se que à formação de Julio Velázquez valeu Paulo Victor e a trave para o nulo se manter ao intervalo. O Marítimo pouco conseguiu fazer na primeira parte, a não ser defender. O único lance de perigo ocorreu ainda nos primeiros 20 minutos e foi contra a corrente do jogo. Xadas tentou surpreender Adán de longe, mas a bola saiu por cima.

No segundo tempo, o jogo manteve-se na mesma toada, apesar de o Marítimo ter estado melhor nos primeiros instantes. Contudo, à medida que o tempo ia passando, o Sporting apoderava-se mais e mais do controlo da partida. A bola estava quase sempre na posse dos seus jogadores, mas jogou-se muito com o coração.

Apesar do caudal ofensivo dos leões, Rúben Amorim muito se pode queixar da falta de eficácia dos seus jogadores. É certo que Paulo Victor fez um jogo quase perfeito, mas é também verdade que quando o guardião do Marítimo não defendia, a bola ou era intercetada por um defesa ou esbarrava nos ferros. Aconteceu na 1.ª parte e voltou a acontecer no 2.º tempo, com um remate de Pedro Porro.

O jogo acabou por ser decidido num penálti e num lance imprudente de Paulo Victor. Lembram-se da menção ao jogo quase perfeito do guarda-redes dos insulares? Pois, é que até ao minuto 90+4 tudo correu bem a Paulo Victor, mas uma falta sobre Jovane borrou a pintura. O Sporting teve direito a uma grande penalidade e Porro não desperdiçou. Num momento de grande ansiedade, Edgar Costa, jogador de campo, tentou parar o remate do lateral espanhol, mas sem sucesso. Os três pontos ficaram em Alvalade.

Figura

Porro voltou a decidir. Marcou o golo que ofereceu três pontos à equipa de Alvalade, mas fez muito mais do que isso. Foi sempre um dos elementos mais desequilibradores, cruzou quase sempre com conta, peso e medida, e podia ter feito mais do que um golo. É um ala diferenciado, aliás, é um jogador realmente diferenciado. Um dos melhores, sem dúvida, deste campeonato.

Surpresa

Pablo Sarabia parece crescer de jogo para jogo. Assistiu por duas vezes Nuno Santos com passes de grande classe, embora o extremo português não tenha acertado na finalização. Mexeu com o ataque dos leões, principalmente na 1.ª parte, e ainda esteve perto de marcar um golaço.

Desilusão

Foi do céu ao inferno. Paulo Victor fez várias defesas que mantiveram o Marítimo com esperança de conquistar um ponto em Alvalade. Tinha tudo para ser o melhor em campo, mas uma má abordagem fez com que cometesse penálti sobre Jovane. Sem discussão, o guarda-redes da equipa insular acabou por ser expulso e manchou uma exibição brilhante com a grande penalidade que decidiu o jogo.

Rúben Amorim

Lançou o onze que mais dava garantias e desde cedo o Sporting começou a fazer o jogo que se esperava que fizesse. O técnico dos leões mexeu a tempo e horas, e não teve medo de arriscar nos minutos finais. O Marítimo pouco fez no campo ofensivo durante todo o jogo, o que facilitou a tomada de decisão.

Julio Velázquez

O Marítimo foi uma equipa competente a defender, mas também contou com alguma falha de eficácia do Sporting na hora de marcar. O espanhol elogiou os seus jogadores e disse que fizeram um "grandíssimo jogo". Se Velázquez queria apenas cingir-se ao objetivo de conseguir o empate, concordamos com ele. Contudo, no futebol e no desporto entra-se para vencer. E aí somos forçados a discordar do técnico do Marítimo.

João Pinheiro

Não falhou nos lances de maior pressão. Soltou alguns cartões amarelos, mas todos justificáveis.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório