Meteorologia

  • 28 FEVEREIRO 2021
Tempo
12º
MIN 9º MÁX 20º

Edição

"Clássico no Dragão? Dou mérito a Jorge Jesus. Mexeu com os jogadores"

Antigo jogador do Benfica destaca mudança de atitude nos jogadores encarnados e espera que a exibição na casa do rival seja o início de uma nova etapa na época.

"Clássico no Dragão? Dou mérito a Jorge Jesus. Mexeu com os jogadores"

Cristiano Roland acredita que o empate do Benfica no Clássico diante do FC Porto (1-1), registado na sexta-feira, poderá servir como ponto de viragem na época dos encarnados. O antigo defesa das águias destaca a "atitude" dos jogadores no Dragão e pede a mesma entrega nos próximos jogos, a começar pela final four da Taça da Liga. 

Cristiano considera que o Benfica foi "muito forte coletivamente" diante do rival FC Porto, mas também confessa que a exibição na Supertaça, no duelo anterior com os dragões, deixou-o desiludido. Ainda assim, o ex-jogador brasileiro prefere olhar com otimismo para o próximo embate das águias, diante do Sporting de Braga, e aponta Jorge Jesus como o principal responsável pela mudança de atitude nos jogadores. 

"Sinceramente, nos jogos que antecederam o Clássico, estava um pouco apreensivo pela forma como o Benfica estava a jogar. Toda a gente tinha muitas expectativas neste Benfica com o regresso de Jorge Jesus. Estive no jogo da Supertaça, em Aveiro, e fiquei um pouco preocupado. Sabemos aquilo que o Benfica pode fazer e vimos aquilo que fez naquele jogo. A qualidade dos jogadores é muito grande, mas coletivamente ainda não está a esse nível e de acordo com aquilo que se exige a uma equipa do Benfica. Neste jogo do Dragão já vi um Benfica que todos os benfiquistas querem ver. Com uma outra atitude e sem medo num campo difícil como é o estádio do FC Porto. Deixou a esperança de ver o Benfica mais vezes assim. Espero ver a mesma atitude nesta final four da Taça da Liga", começa por dizer Cristiano, em declarações exclusivas ao Desporto ao Minuto

O antigo jogador de 44 anos, que vestiu a camisola do Benfica entre 2002 e 2006, insiste na teoria de que a postura dos jogadores ajudou a subir o nível exibição da equipa e enumera aquilo que diferente viu nos dois jogos com o rival FC Porto. 

"Não sei o que o Jorge Jesus fez, mas aquilo mexeu com os jogadores e com a equipa. Vi um Benfica a lutar. É nisso que o FC Porto até costuma ser mais forte. O FC Porto é muito forte nas transições e isso ficou evidente na Supertaça. O Rafa perdeu a bola e ninguém fechou os espaços, há um penálti e o FC Porto faz o golo. No último jogo isso já não aconteceu. Vi um Benfica a reagir à perda da bola e a usar faltas estratégicas. O Benfica foi forte e espero que seja assim em todos os jogos", explica. 

Weigl é o grande beneficiado

Um dos jogadores em maior foco no Clássico no Dragão foi Weigl. O médio alemão foi considerado, por grande parte da imprensa, o melhor jogador em campo, e Cristiano não deixa de concordar, embora sublinhe que o crescimento de Weigl se deve aos companheiros de equipa. 

"Não só o Weigl... Tudo depende do processo ofensivo e da leitura de jogo. Tendo a ajuda dos outros... Quando se perde a bola, os avançados têm de ser os primeiros a defender. Isso ajuda todos os jogadores e facilita o trabalho dos médios. O Weigl mostrou boa leitura, mas é fruto do trabalho coletivo. Não só facilita o trabalho dele como dos centrais. O Benfica foi muito forte coletivamente contra o FC Porto. O Weigl está a entender cada vez melhor o que Jorge Jesus quer. Se assim continuar, vai ser um jogador importante", argumenta. 

Críticas injustas para os centrais

Cristiano olha para Otamendi e Vertonghen como dois jogadores de qualidade e a quem têm sido dirigidas criticas desajustadas. O antigo jogador brasileiro, que também era central, chama a atenção para o facto de ambos os jogadores terem chegado à Luz apenas no último verão. Pelo meio, recorda que a saída de Rúben Dias permitiu ao Benfica fazer um encaixe financeiro significativo. 

"O Rúben Dias é um grande jogador e ajudou o Benfica em termos financeiros. O Otamendi e Vertognhen são jogadores de seleção. São jogadores de qualidade. Acho que as críticas que fizeram a ambos não se justificavam. São jogadores novos no clube e eu acredito na qualidade que eles têm. Acredito que vão crescer com a equipa", afirma. 

Carvalhal, um treinador com quem se cruzou 

Além de Benfica, Cristiano também representou o Beira-Mar e o Belenenses. Foi no Restelo que se cruzou com Carlos Carvalhal. O antigo defesa brasileiro deixa elogios ao Sporting de Braga, mas volta a sublinhar que o Benfica reúne todas as condições para marcar um lugar na final da Taça da Liga. 

"O Benfica tem todas as condições para estar na final. Mostraram isso no Dragão. Dou mérito a Jorge Jesus. Deve ter mexido com os jogadores. Também realço que é importante a presença de Rui Costa e Luisão, que foram capitães, junto da equipa, uma vez que ajudam a transmitir a importância destes jogos, especialmente numa altura em que não há adeptos nos estádios. Vai ser uma final four muito interessante e logo com um Sp. Braga muito forte do Carlos Carvalhal, treinador com quem trabalhei no Belenenses. É uma equipa com boas dinâmicas e com muitas soluções e que já ganhou na Luz esta época. Vai ser um jogo difícil, mas vejo o Benfica num outro momento depois deste jogo com o FC Porto. Espero um grande jogo e desejo que consigam um lugar na final", remata Cristiano Roland ao Desporto ao Minuto.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório