Meteorologia

  • 09 AGOSTO 2020
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 28º

Edição

Águias 'tramadas' por um menino da casa. As notas do Famalicão-Benfica

Pizzi marcou primeiro para a equipa orientada por Nélson Veríssimo, mas já perto do final Guga Rodrigues entrou e precisou apenas de dois minutos para fazer o empate. Resultado terá consumado o adeus ao título por parte do Benfica.

Águias 'tramadas' por um menino da casa. As notas do Famalicão-Benfica

O FC Porto está a um ponto do título e isso deve-se ao empate entre Famalicão e Benfica esta quinta-feira. As águias não conseguiram sair do norte do país com uma vitória e o 'culpado' foi um velho conhecido: Guga Rodrigues.

O médio formado no Benfica marcou o golo que valeu o empate aos famalicenses aos 84 minutos e que deixou praticamente os encarnados arrumados na luta pelo título.

A formação agora treinada por Nélson Veríssimo até esteve melhor em boa parte da partida, mas o fulgor que apresentou inicialmente foi perdendo-o. O ritmo e a intensidade do conjunto da Luz foi baixando e a garra do Famalicão foi crescendo à medida que os minutos se iam gostando. 

Mais com o coração do que com a cabeça, a equipa de João Pedro Sousa acabou por ser premiada pelo esforço e conseguiu um ponto, que não foi suficiente para evitar a ultrapassagem do Rio Ave na luta por um lugar na Europa.

Figura do jogo: Se há jogador a quem o empate se deve, esse jogador é Rafael Defendi. Foram várias as defesas que o guarda-redes do Famalicão fez durante toda a partida e vários os golos que evitou. Se o Benfica não conseguiu uma vantagem maior foi por culpa de Defendi, que mais tarde foi fundamental para os homens de João Pedrou Sousa alcançarem o empate.

Surpresa: Um empate bastante procurado, mas que só chegou com Guga Rodrigues. O médio que fez toda a formação nas escolas do Benfica entrou aos 82 minutos e aos 84 já estava a festejar.  Conseguiu em dois minutos, o que toda a equipa tentou em todo o jogo: o golo.

Desilusão: Seferovic mereceu novamente a confiança de Veríssimo e voltou não conseguir fazer balançar as redes. Pede-se mais ao melhor marcador da temporada passada e que este ano leva apenas três golos na I Liga em... 1311 minutos disputados.

Nélson Veríssimo: Dizem que em equipa que ganha não se mexe. Foi a máxima utilizada pelo treinador do Benfica, mas que não surtiu o efeito desejado. O Benfica até começou bem, mas não teve arte nem engenho suficiente para sair de Famalicão com os três pontos. Notam-se poucas diferenças deste Benfica para aquele que era o Benfica de Bruno Lage.

João Pedro Sousa: Fiel a si mesmo e às suas ideias, o Famalicão procurou jogar com bola, manter a posse, mesmo sentido dificuldades acrescidas pela pressão exercida pelo Benfica. No entanto, a equipa nunca baixou os braços, seguindo as indicações do seu timoneiro e teve o prémio merecido aos 84 minutos.

Árbitro (Jorge Sousa): Uma 'exibição' que passou despercebida no Municipal de Famalicão. Passou despercebido na maior parte do tempo? Sim. E é precisamente isso que se pede a um árbitro, que não seja o protagonista do encontro. Nota positiva para Jorge Sousa e para a sua equipa de arbitragem.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório