Meteorologia

  • 05 DEZEMBRO 2019
Tempo
15º
MIN 10º MÁX 16º

Edição

A pressão, o telefonema a Otávio às 2h da manhã e os amarelos do Marítimo

Técnico do FC Porto fez a antevisão do encontro com o Santa Clara, agendado para estes sábado, às 20h30.

A pressão, o telefonema a Otávio às 2h da manhã e os amarelos do Marítimo

Depois do afastamento da Liga dos Campeões, aos pés do Liverpool, o FC Porto muda o 'chip' e centra atenções no campeonato, naquele que é o principal objetivo da temporada. 

Os dragões voltam a jogar no Dragão, desta vez frente ao Santa Clara, atual oitavo classificado da tabela, num jogo que está agendado para este sábado, às 20h30.

Sérgio Conceição fez a antevisão do encontro esta sexta-feira e garantiu que a derrota com os reds não afeta a equipa.

Cartões amarelos do Marítimo: "Eu acho que não me devo meter nesse assunto. Tenho muita vontade de dizer umas coisas, mas não devo... Porque amanhã vão ser título e depois passa para segundo plano o que será o nosso jogo com o Santa Clara. Não vou comentar..."

Gestão da equipa: "Implica sempre olhar para os jogadores que têm mais e menos desgaste e escolher o melhor onze. Depois do jogo podemos falar um pouco sobre essa questão."

Jogar antes do Benfica: "Isso está sempre presente no nosso trabalho. Nós temos que fazer o nosso papel, tentar ganhar todos os jogos, seja antes ou depois dos nossos rivais, e depois fazer as contas. A pressão é sempre a mesma. Se não fizermos o nosso trabalho, não adianta nada o que o rival faz. Há 15 pontos em disputa e há que começar nos três mais importantes, que são os de amanhã."

Críticas a Marega: "O Marega, talvez, em momentos de transição, é o jogador mais forte que treinei. É fantástico naquilo que é a entrega e na capacidade que tem para se movimentar sem bola e quando a tem é extremamente objetivo e vertical no jogo. Fez uma Liga dos Campeões fantástica. Este ano fez seis golos, é o melhor marcador em jogos seguidos na história do FC Porto na Liga dos Campeões, que é enorme, por isso, há muita coisa boa que podemos ir buscar. Não foi o Marega que falhou, foi a equipa que não foi eficaz."

Palavras de Otávio: "Falei com ele quase às duas da manhã, depois de ir para casa. Senti na obrigação de lhe telefonar, mas já o disse a propósito do Óliver, acho que essas questões públicas não fazem sentido. Ele não precisa de dizer em público que cometeu um determinado erro porque eu também não venho dizer que cometi e eu sou o primeiro a cometer erros. O balneário é muito forte nisso, foi mais em tom de desabafo que ele teve necessidade de extravasar aquilo que sentia. Falámos entre nós e aqui quando há um erro, não é um jogador que erra, é toda a equipa. Nunca há essas questões individuais que eu não gosto de realçar. Somos um grupo unido e forte e acho que essa é uma mais-valia que temos desde que eu estou aqui."

Santa Clara: "É um Santa Clara mais perigoso por estar tranquilo na tabela. Temos um jogador que jogou no Santa Clara, o Fernando, que em virtude das exibições que fez no início do campeonato, fez com que o FC Porto o fosse buscar. Ou seja, há essa motivação de jogar contra um clube de maior dimensão e depois há essa tranquilidade. É um ponto a favor do Santa Clara jogar com uma posição tranquila na tabela."

Margem de erro na luta pelo título: "Mas qual é o clube dos chamados grandes que começa a jogar nas competições internas e na Europa e não acha que todos os jogos são para ganhar? Aqui não há nada de diferente. Os jogos ganham um peso diferente porque a margem de erro é mais curta. Os jogos são sempre finais. Temos consciência que quem errar fica mais difícil de errar. Temos essa consciência assim como os rivais também a têm. Isso não traz pressão acrescida. Há a pressão do jogo de uma forma natural, contra um adversário completamente tranquilo, bem organizado, que tem tido um bom trabalho do João e é uma equipa muito consistente e bem trabalhada. O foco no próximo jogo é o mais importante."

Aspeto psicológico depois de uma pesada derrota: "Eu falava de um equilíbrio que tínhamos que ter frente ao Liverpool e eu acho que é esse equilíbrio anímico que temos que ter agora a caminhar para o fim do campeonato. Temos que perceber o percurso fantástico que fizemos na Liga dos Campeões e tudo o que fizemos de bom e o que foram os desfechos destes dois jogos. Sofremos demasiados para aquilo que fizemos em termos defensivos e fizemos poucos golos para o potencial ofensivo. Daí o amargo de boca. Não apaga o percurso interessante e feliz que deu a esperança e, no fundo, o pensamento de que poderíamos chegar a uma fase muito adiantada da prova. Acreditámos que era possível estar nas meias-finais. Infelizmente esse sonho acabou, mas como já disse a nossa Champions League é o campeonato. Agora temos essa oportunidade, temos consciência que não dependemos de nós, mas depende de nós darmos o nosso melhor."

Preparação em poucas horas: "Vamos ver os jogadores que possam estar mais debilitados fisicamente e começamos rapidamente a mudar o 'chip' e a ver as dificuldades que teremos no jogo seguinte. Apesar de termos pouco mais do que as horas legais para jogar a seguinte partida, mas preocupações para a preparação são as mesmas. Tal como escrevi ontem, é muito positivo que a Federação holandesa tenha adiado a jornada do campeonato com vista às meias-finais que o Ajax vai disputar. Não é puxar pelo meu jardim, mas acho que seria o melhor para o futebol português. Não sou nenhum profeta mas sinto na pele aquilo que podem ser as melhores condições para representarmos o nosso país."

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório