Meteorologia

  • 14 JULHO 2024
Tempo
24º
MIN 15º MÁX 26º

MARO vence Prémio José Afonso 2024 com álbum "hortelã"

A cantora, compositora, multinstrumentista e produtora MARO venceu o Prémio José Afonso 2024 com o álbum "hortelã", anunciou hoje o júri, salientando "o conjunto de qualidades" que a artista "tem vindo a evidenciar desde o começo da carreira".

MARO vence Prémio José Afonso 2024 com álbum "hortelã"
Notícias ao Minuto

13:09 - 14/06/24 por Lusa

Cultura Prémio José Afonso

Segundo o júri, num comunicado hoje divulgado, a escolha de "hortelã" "deveu-se a um conjunto de qualidades que MARO, compositora, cantora, multinstrumentalista e produtora, tem vindo a evidenciar desde o começo da sua carreira que, apenas cinco anos após o seu primeiro disco, confirma a constante qualidade e invenção poética das letras, a mestria e sensibilidade dos arranjos e da interpretação, e uma voz original e distinta que neste registo, um conjunto de canções de caráter introspetivo e lírico, adquire já uma tonalidade madura e sofisticada".

"hortelã" é o sétimo e mais recente álbum de MARO.

Maioritariamente cantado em português e composto por dez temas, "hortelã" é um álbum de guitarra e voz, coproduzido por MARO com dois amigos guitarristas, Darío Barroso e Pau Figueres.

O júri do Prémio José Afonso, atribuído anualmente desde 1988 pela Câmara Municipal da Amadora, foi constituído pelo músico e compositor Sérgio Azevedo (em representação da Câmara Municipal da Amadora), pelo maestro Pedro Teixeira da Silva (em representação do Teatro Nacional de São Carlos) e pela cantautora A garota não, que venceu o Prémio José Afonso 2023 com o álbum "2 de Abril".

O prémio, no valor de cinco mil euros, "tem como objetivo homenagear o cantor e compositor português José Afonso, preservando e perpetuando a obra do autor", sendo a atribuído a um álbum editado no ano ou nos anos anteriores ao da edição do prémio.

MARO é o nome artístico de Mariana Secca, cantora e multi-instrumentista lisboeta que fez o conservatório e estudou na escola de Berklee, em Boston, nos Estados Unidos.

Em 2018, editou o primeiro álbum, homónimo, dividido em três volumes e que condensa, de forma cronológica, tudo aquilo que MARO compôs desde os primeiros temas da infância até 2017, ano em que terminou os estudos nos Estados Unidos.

Tendo a Internet como principal aliado e âncora na divulgação, MARO disponibilizou no portal Youtube dezenas de vídeos com músicos que passaram por Berklee, com quem gravou o álbum de estreia, e também as gravações feitas nos últimos dois anos, de duetos à distância com artistas como Antonio Sanchez, Eric Clapton, Mayra Andrade, Maria Gadú, Luísa Sobral, Rui Veloso, Ivan Lins, Pablo Alborán, António Zambujo, Silvia Pérez Cruz e Dino D'Santiago.

Em 2018, em entrevista à agência Lusa quando lançou a terceira parte do álbum de estreia, afirmou que queria ter completa liberdade para se movimentar em diferentes géneros musicais, da música eletrónica ao r&b e à pop, e revelou que deve a Milton Nascimento a vontade de ser artista.

"Ele é das razões mais óbvias pelas quais estou a cantar", disse.

Em 2022, MARO venceu o Festival da Canção com o tema "Saudade, Saudade", no qual era acompanhada ao vivo por mais quatro cantoras portuguesas, tendo representado Portugal no 66.º Festival da Eurovisão, que aconteceu em Turim, Itália.

Com "Saudade, saudade", Portugal alcançou o nono lugar, uma posição que já tinha obtido em duas outras competições.

Leia Também: 'Labirinto'. André Amaro lança segundo álbum de originais

Recomendados para si

;
Campo obrigatório