Meteorologia

  • 17 ABRIL 2024
Tempo
23º
MIN 14º MÁX 28º

Grupo Etnográfico de Arzila comemora 50 anos com programa até 2025

O Grupo Folclórico e Etnográfico de Arzila (GFEA), no concelho de Coimbra, vai comemorar 50 anos de atividade com um diversificado programa cultural que começa no sábado e decorrerá durante um ano.

Grupo Etnográfico de Arzila comemora 50 anos com programa até 2025
Notícias ao Minuto

20:07 - 22/02/24 por Lusa

Cultura Coimbra

Sob o lema '50 Anos, 50 Eventos', o conjunto de realizações distribuídas por 13 meses encerrará em fevereiro de 2025, com um espetáculo que vai reunir em palco, no Convento de São Francisco, em Coimbra, a banda da Filarmónica União Taveirense e o GFEA.

"Neste meio século, além dos cantares e das danças, o grupo desenvolveu um trabalho forte de recolha dos rituais, hábitos e costumes locais", disse hoje à agência Lusa Arménio Santa, da comissão organizadora.

O Grupo Folclórico e Etnográfico de Arzila foi fundado por vários jovens da antiga freguesia, em 24 de fevereiro de 1974, dois meses antes do 25 de Abril.

Porém, segundo Arménio Santa, depois de "muita opressão" em ditadura, o clima de liberdade proporcionado pela Revolução dos Cravos veio a dar mais tarde um "renovado entusiasmo" aos fundadores.

"Havia uma vontade grande de criar um movimento cultural dirigido à pesquisa das danças, cantares e trajes tradicionais do Baixo Mondego", salientou o músico, que chegou a tocar concertina no GFEA.

Reconhecida pelo Estado como instituição de utilidade pública, filiada na Federação do Folclore Português (FFP) e na Associação de Folclore e Etnografia da Região do Mondego (AFERM), a coletividade nasceu "a partir de uma brincadeira de Carnaval", tendo encetado, na década de 1980, "um processo de transformação que beneficiou do aconselhamento técnico" da FFP e da Comissão de Análise do Folclore de Coimbra, na altura constituída pelos Serviços Municipais de Turismo.

"Começaram a fazer uma abordagem às pessoas mais antigas de Arzila, em busca das tradições da região", referiu Arménio Santa, salientando que o agrupamento, além da recolha de elementos etnográficos, passou a realizar debates, jornadas culturais, exposições e recuperação de festas e jogos populares.

Nos últimos anos, os registos áudio desse trabalho foram convertidos no formato digital, ficando preservados em CD.

O programa comemorativo dos 50 anos inclui ciclos de 'workshops', feira à moda antiga, festa da esteira, gastronomia, festival de folclore, entre outras atividades.

"As celebrações culminarão com um espetáculo de encerramento único, no Convento de São Francisco, que juntará o GFEA e a Filarmónica Taveirense", disse o responsável.

No sábado, às 15:00, em Arzila, o GFEA apresenta o programa "50 Anos, 50 Eventos", seguindo-se a sessão solene comemorativa do 50.º aniversário com a presença de representantes da Câmara de Coimbra, FFP, Fundação INATEL e União de Freguesias de Taveiro, Ameal e Arzila.

Na ocasião, são homenageados os fundadores que se mantêm no grupo, os casais Filomena Girão e José Manuel Girão e Isabel Albuquerque e António Carvalho.

Leia Também: IP com dificuldade em concluir em 2025 linha do hospital do Metro Mondego

Recomendados para si

;
Campo obrigatório