Meteorologia

  • 28 SETEMBRO 2021
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 23º

Edição

Projeto Centro Mutável quer descentralizar criação artística

O projeto Centro Mutável vai juntar artistas, pensadores e público para uma partilha mútua num ciclo de oficinas, conversas e exposições até 2022, visando descentralizar a criação e reflexão artísticas de Lisboa para Montemor-o-Novo, no Alentejo.

Projeto Centro Mutável quer descentralizar criação artística
Notícias ao Minuto

17:30 - 05/05/21 por Lusa

Cultura Arte

O projeto, cujas iniciativas decorrem entre maio e outubro nas Oficinas do Convento - Associação Cultural de Arte e Comunicação e na Vicarte - Vidro e Cerâmica para Arte, em Montemor-o-Novo, tem a coautoria de João Rolaça e Margarida Alves, artistas e investigadores, doutorandos em Escultura da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa.

"Partimos desta ideia de mutabilidade, de deslocamento geográfico dos grandes centros culturais para as periferias, mas, ao mesmo tempo, o tema estará em aberto para poder ser abordado pelos artistas de forma flexível, maleável, do ponto de vista metafísico, geométrico, da paisagem, arquitetura", explicitou a curadora Margarida Alves, contactada pela agência Lusa.

As ideias-chave do projeto Centro Mutável são "descentralizar" e "partilhar" a reflexão e a criação artística entre os criadores, os pensadores e o público, levando estes processos e práticas dos grandes centros urbanos para o interior do país, onde a oferta cultural "é quase só um produto acabado, em que o artista está distante do público", disse a curadora.

No âmbito do Centro Mutável, foram convidados sete artistas - Ana Cardoso, Armanda Duarte, Belén Uriel, Guarda Rios, Inês Teles, Os Espacialistas e Ricardo Jacinto - que irão trabalhar estes conceitos entre maio e outubro através de oficinas, nos espaços e recursos da Oficinas do Convento e da Vicarte.

Os artistas convidados, "ao desenvolverem o 'workshop', partilham o seu processo criativo com os participantes, e é nessa partilha mútua que os objetos artísticos se vão desenvolver, numa abordagem de expansão do tema central do projeto: uma ideia mutável de centro que pode ser observada sob várias perspetivas e pontos de vista críticos e conceptuais", apontou.

Até outubro, as oficinas são pensadas para possibilitar experiências diversificadas no tempo e no espaço, com explorações pela cidade, visitas ao rio Almansor, percursos e observações desde o castelo, assim como outras experiências e investigações que cruzam aspetos técnicos com questões conceptuais.

Margarida Alves disse que a fase seguinte, das conversas e debates, será concretizada com a participação de oradores de diferentes áreas do conhecimento, desde a filosofia, dança, antropologia, fotografia, astrofísica, curadoria, sociologia, numa abordagem transversal dos temas, com partilha de visões e opiniões.

Todo esse trabalho entre maio e outubro terá como resultado uma exposição que será apresentada em novembro em Montemor-o-Novo, e em março de 2022 na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa.

Os curadores querem desenvolver uma abordagem diferente da convencional: "Em vez de apresentar uma exposição com as obras dos artistas, o objetivo é aproximarem-se ao público para que ele seja incluído e faça parte desse questionamento e reflexão conjunta, comunitária".

Questionada pela Lusa sobre a quem é dirigido este projeto, a curadora indicou que estará aberto "a todas as pessoas maiores de 16 anos, com ou sem formação artística, desde que tenham interesse nesta área".

"Concluímos que a maioria dos projetos culturais, em Portugal, continuam a ficar centrados nas grandes metrópoles como Lisboa, Porto, Guimarães, mas verificamos que o interior está sedento destas iniciativas, e tem muito potencial em vários aspetos", sublinhou a investigadora.

Sobre a continuidade do Centro Mutável para além de 2022 e a extensão a outras regiões do país, Margarida Alves avançou que a intenção é prosseguir com o projeto e expandi-lo no tempo e no território.

O projeto vai ser apresentado publicamente na quinta-feira, entre as 18:30 e as 19:15, onde os curadores do projeto e os parceiros apresentarão detalhadamente todo o programa, inauguram o seu sítio 'online' (www.centromutavel.com) e anunciarão todas as datas das oficinas e restantes atividades.

Leia Também: Representantes do Estado em Serralves e na Casa da Música ouvidos na AR

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório