Meteorologia

  • 06 DEZEMBRO 2022
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 17º

Mia Neal e Jamika Wilson são primeiras negras a vencer na Caracterização

Mia Neal e Jamika Wilson fizeram história na 93.ª edição dos prémios da Academia ao serem as primeiras afro-americanas a vencer o Óscar de Melhor Caracterização, pelo trabalho no filme "Ma Rainey's Black Bottom'.

Mia Neal e Jamika Wilson são primeiras negras a vencer na Caracterização

Nos entrevista de bastidores que se seguiu à entrega das estatuetas, esta madrugada em Los Angeles, Mia Neal disse que a vitória foi como uma "experiência fora do corpo", e salientou a importância deste momento para os artistas de minorias étnicas.

"Toda a gente beneficia da diversidade. E toda a gente a quer", afirmou Neal, que recebeu o Óscar juntamente com Jamika Wilson e Sergio Lopez-Rivera.

"Houve uma aceleração dos tempos, em termos de tecnologia e de todas as pessoas estarem mais conectadas", afirmou, considerando que esta aproximação contribuiu para a diversificação em curso.

"Não sinto qualquer resistência. Estou entusiasmada quanto ao futuro, penso que todos devemos estar", frisou.

No discurso de aceitação do Óscar, Mia Neal já tinha referido a vitória como um "quebrar do teto de vidro", perspetivando um futuro em que mulheres transgénero, asiáticas, latinas e indígenas possam pisar o mesmo palco com uma estatueta na mão.

"Sei que, um dia, isso não será fora do normal nem inovador, será apenas normal".

Sergio Lopez-Rivera ecoou esse sentimento nas entrevistas de bastidores e Jamika Wilson, a cabeleireira pessoal de Viola Davis - que interpreta Ma Rainey no filme da Netflix - falou do significado desta vitória para toda a comunidade e apelou a que "tragam mais afro-americanos para os estúdios".

A vitória do trio acontece dois anos depois de, em 2019, Hannah Beachler ter sido a primeira afro-americana a vencer o Óscar noutra categoria técnica, Melhor Direção de Arte, com o filme "Black Panther", em conjunto com Jay Hart.

"Ma Rainey: A mãe dos blues" recebeu cinco nomeações nesta edição dos Óscares, que teve um número recorde de mulheres nomeadas, 76.

A cerimónia deste ano também quebrou outras barreiras, consagrando Chloé Zhao como primeira mulher não branca a receber o Óscar para Melhor Realização e Ann Roth como a mulher mais velha de sempre a receber uma estatueta, aos 89 anos, precisamente pelo Guarda-Roupa de "Ma Rainey: A mãe dos blues".

A 93.ª cerimónia dos prémios da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas decorreu entre a estação de comboios Union Station, na baixa de Los Angeles, e o Dolby Theatre, em Hollywood, com restrições devido à pandemia de covid-19.

Leia Também: 'Nomadland' foi o vencedor em noite morna e com um final muito estranho

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório