Meteorologia

  • 22 JANEIRO 2021
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 15º

Edição

Natália de Sousa pertenceu a uma geração que "elevou o humor português"

A ministra da Cultura lamentou hoje a morte da atriz Natália de Sousa, "figura inesquecível do teatro de revista e do humor em televisão" e que pertenceu a uma geração que "elevou o humor português".

Natália de Sousa pertenceu a uma geração que "elevou o humor português"
Notícias ao Minuto

13:01 - 14/01/21 por Lusa

Cultura Óbito

"As suas personagens serão sempre símbolo de como, a rir, aprendemos sobre nós, mas, também, a manter um olhar crítico sobre o país e as suas instituições", afirmou a ministra Graça Fonseca hoje em comunicado.

A atriz Natália de Sousa, cofundadora da companhia Teatro Ádóque, trabalhou sobretudo em teatro de revista e participou em vários programas televisivos de comédia e humor. A atriz morreu na quarta-feira aos 73 anos.

Nascida em Lisboa em 1947, Natália de Sousa esteve no grupo fundador da companhia Ádóque - Cooperativa de Trabalhadores de Teatro, que construiu o seu próprio palco, no largo do Martim Moniz, em Lisboa, após o 25 de Abril de 1974.

A companhia estreou-se em setembro de 1974, meses depois da revolução, com a peça "Pides na Grelha", com Natália de Sousa no elenco, ao lado de Rui Mendes, Francisco Nicholson, Henrique Viana, entre outros.

Ainda no Ádóque, seguiram-se os espetáculos 'A CIA dos cardeais' (1975), 'A grande cegada' (1976) ou 'Chiça! Este é o bom governo de Portugal' (1980).

A atriz fez ainda parte das revistas 'Ó da Guarda', no Teatro ABC, 'Aldeia da Roupa Suja', no Teatro Variedades, 'Não Há Nada Pra Ninguém', do Teatro Maria Vitória, e da peça 'Filomena Marturano', no Teatro Maria Matos, todos em Lisboa.

Natália de Sousa também fez cinema, entrando, por exemplo, em "Um crime de luxo", de Artur Semedo, mas foi na televisão, ao lado de Nicolau Breyner, Herman José e Camilo de Oliveira, que teve uma presença mais regular entre as décadas de 1970 e de 1990.

'O Tal Canal', 'Hermanias', 'Lá em Casa Tudo Bem', 'Eu Show Nico', 'As Aventuras do Camilo', 'Milionários à Força' e, em 2018, 'Excursões Air Lino'.

Apesar de conotada com a comédia, Natália de Sousa também fez papéis dramáticos, como em 'O Homem que Matou o Diabo', série da RTP sobre o romance de Aquilino Ribeiro, produzida em 1979, e 'Ricardina e Marta' (1990), novela baseada nos romances de Camilo Castelo Branco.

A atriz residia em Setúbal e completaria 74 anos no próximo dia 25.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório