Meteorologia

  • 05 JULHO 2022
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 32º
Finanças Investimentos Madeira. Necessário "expurgar" legis...

Madeira. Necessário "expurgar" legislação que dificulta investimento

O presidente do Governo da Madeira disse hoje ser necessário "expurgar da legislação" um "conjunto de normas" que dificulta os investimentos no setor imobiliário e sublinhou que o seu executivo não tem "nenhuma reserva mental" em apoiar os empresários.

Madeira. Necessário "expurgar" legislação que dificulta investimento

"Tudo o que for possível, da nossa parte, no sentido de acelerarmos os procedimentos de licenciamento, será feito", afirmou Miguel Albuquerque, reforçando: "Não temos nenhum complexo de esquerda, nenhuma reserva mental de perseguir quem tem dinheiro e quer investir, quem cria os postos de trabalho e cria riqueza".

O chefe do executivo madeirense (PSD/CDS-PP) falava cerimónia de apresentação do empreendimento Madeira Acqua Residences, no Funchal, um projeto do Grupo Pestana, orçado em 100 milhões de euros, que vai transformar o antigo Hotel Madeira Palácio em área residencial, com 181 apartamentos, 25 dos quais com piscina privada.

"Para mantermos o volume do investimento, a atratividade do investimento e, sobretudo, mantermos o entusiasmo dos investidores, é decisivo e importante não complicarmos", disse Miguel Albuquerque, lamentando que a legislação portuguesa, e também a europeia, contenha normas "muito atrasadas ou anacrónicas" que dificultam o andamento dos projetos.

"Ainda existe a necessidade de expurgar da legislação um conjunto de normas inúteis e que fazem sobrecarga sobre os investimentos, os chamados custos de contexto", advertiu, lembrando que o Regulamento Geral das Edificações Urbanas data dos anos 50 do século passado.

O presidente do Governo Regional afirmou que, enquanto estiver no cargo, pretende apoiar os empreendedores e realçou que o seu executivo "não tem nenhum complexo nem nenhuma reserva mental" em acolher o investimento privado.

O Madeira Acqua Residences localiza-se na zona oeste do Funchal, uma área considerada nobre e de expansão da cidade, onde está prevista a edificação de cerca de 2.000 novos fogos nos próximos três anos e um aumento de mais 7.000 residentes.

O presidente do Governo Regional indicou que, por isso, será executado um "conjunto de investimentos públicos" na área ao nível da rede viária e das redes de água e saneamento básico.

Leia Também: PSD. Aprovada proposta de comissão para modelo de imputação de receitas

Campo obrigatório