Meteorologia

  • 01 JULHO 2022
Tempo
28º
MIN 15º MÁX 28º
Imobiliário Habitação Governo da Madeira apresentou invest...

Governo da Madeira apresentou investimento em habitação de 4,9 milhões

O presidente do Governo da Madeira apresentou hoje um novo empreendimento habitacional no Funchal, investimento de 4,9 milhões de euros integrado no Plano de Recuperação e Resiliência, que irá reforçar a oferta a preços acessíveis aos madeirenses.

Governo da Madeira apresentou investimento em habitação de 4,9 milhões

um investimento de 4,9 ME, ao abrigo de um concurso aberto pela Investimentos Habitacionais da Madeira (IHM), que vai adquirir os fogos para depois serem disponibilizado para habitação, sobretudo para jovens casais, para pessoas que precisa de habitação de qualidade no Funchal", disse Miguel Albuquerque.

O novo empreendimento, localizado na freguesia de Santo António, começa a ser construído em julho e tem um prazo de execução de 18 meses, adiantou o chefe do executivo regional.

"É numa zona muito central, infraestruturada e pensamos que este empreendimento, a par de outros que vamos desenvolver aqui no Funchal, corresponde ao nosso objetivo: que é facultar habitação a preços acessíveis aos madeirenses", acrescentou.

Este novo empreendimento vai abranger uma área de construção aproximada de 1.800 metros quadrados, sendo compostos por 25 apartamentos de tipologia T1 (10) e T2 (15) e integra o conjunto de 11 lotes que foram aprovados na primeira fase de oferta pública lançada pela IHM, em finais do ano passado, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

O governante insular recordou está definido, na segunda fase, que dos 136 ME do PRR afetos à habitação, 128,4ME serão para construção de 1.121 fogos, seis milhões para apoio à reabilitação que de moradias próprias e 1,6 milhões para soluções tecnológicas.

" Vamos tentar que ocorra isso, se não conseguirmos devido à variação de preços, vamos anunciar, mas esta é a nossa perspetiva", indicou.

Miguel Albuquerque apontou que "a primeira fase enquadrou-se dentro daquilo que são os valores que eram expectáveis".

O responsável adiantou que "há também, neste momento, no quadro legislativo, autorização para fazer o reajustamento mesmo no quadro do PRR, no número de fogos" na segunda fase da execução do plano.

Questionado sobre a possibilidade de alterações devido ao aumento dos custos das matérias primas, Albuquerque respondeu que "os empreiteiros estão perfeitamente enquadrados dentro dos preços lançados e as obras já estão adjudicadas".

Leia Também: Cerca de 5.000 famílias esperam por apoios habitacionais na Madeira

Campo obrigatório