Meteorologia

  • 22 MAIO 2022
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 23º
Finanças Investimentos Investimento imobiliário na Europa s...

Investimento imobiliário na Europa subiu 25% em 2021. E em Portugal?

O investimento imobiliário na Europa alcançou os 359 mil milhões em 2021, um novo máximo histórico. Já Portugal viu o seu investimento cair 21%, revela a consultora imobiliária CBRE.

Investimento imobiliário na Europa subiu 25% em 2021. E em Portugal?

O investimento imobiliário na Europa alcançou os 359 mil milhões em 2021, um novo máximo histórico. Este valor traduz um aumento na ordem dos 25% face a 2020 e mais 8% do que em 2019. Em sentido inverso, Portugal viu o seu investimento cair 21%.

Esta é uma das principais conclusões que o Iberian Property retirou do relatório apresentado pela consultora imobiliária CBRE, que aponta também para um 4.º trimestre com números históricos, onde o volume de investimento alcançou os 136 mil milhões de euros, o que representa uma subida  homóloga de 37% e mais 10% do que entre outubro e dezembro de 2019.

De um modo geral, a maioria dos principais mercados europeus registou aumentos em 2021 face ao ano anterior. No Reino Unido, a subida foi de 49%, seguem-se a Irlanda com 54%, os países nórdicos (44%), a Alemanha (39%), a Espanha (33%) e a Itália (13%). No entanto, foi o país alemão, com um volume total de investimento de 110.000 milhões de euros, que anotou o maior valor registado por um país europeu.

No entanto, em sentido inverso, França, Portugal e Países Baixos, viram o seu investimento reduzido em 9%, 21% e 10%, respetivamente.

Setor escritórios representa a maior 'fatia' dos investimento

Segundo o mesmo relatório, o mercado de escritórios continua a ser o principal foco de investimento na Europa, com volumes a atingirem os 111 mil milhões de euros em 2021, mais 16% do que em 2020, cita a plataforma. O crescimento tem sido especialmente forte nos países nórdicos (117%), Reino Unido (48%), Holanda (30%), Espanha (27%) e Alemanha (10%).

Faz ainda sobressair a CBRE que este valor indica "o retorno da confiança dos investidores" e até 2022 a consultora espera uma recuperação geográfica mais alargada do investimento neste setor.

Leia Também: Fundos imobiliários geriram mais 109,7 milhões de euros em dezembro

Campo obrigatório