Meteorologia

  • 20 JANEIRO 2022
Tempo
MIN 5º MÁX 14º

Edição

Finanças IMI Mais municípios aderiram ao IMI fami...

Mais municípios aderiram ao IMI familiar em 2022. Saiba se tem direito

Cerca de 84% dos municípios decidiu aderir ao IMI familiar em 2022. Mas, será que tem direito a esta iniciativa que dá descontos no imposto consoante o número de filhos do agregado? Eis tudo o que precisa de saber.

Mais municípios aderiram ao IMI familiar em 2022. Saiba se tem direito

Há mais municípios a aderir ao IMI familiar em 2022. Segundo apurou o Casa ao Minuto, de acordo com os dados recolhidos no Portal das Finanças, 84% dos municípios decidiu aderir ao IMI familiar em 2022. Os números decorrem da informação transmitida ao Ministério das Finanças até 31 de dezembro e revelam que cerca de 258 concelhos vão aplicar este desconto no imposto às famílias com filhos. Mas, será que tem direito a esta iniciativa que dá descontos no imposto consoante o número de filhos do agregado? Eis tudo o que precisa de saber.

Em primeiro lugar importa saber que o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) é a taxa cobrada pelas autarquias aos proprietários de Prédios Urbanos, Rústicos e Mistos. Já o IMI familiar é o imposto deduzido de valor mais baixo que a taxa cobrada pelos municípios, por ter dependentes a cargo

Este benefício fiscal, introduzido em 2016, veio dar uma ajuda no equilíbrio do orçamento das famílias com filhos a cargo, deduzindo um valor fixo ao montante do imposto a pagar, como explica o Doutor Finanças. Ou seja, famílias com um filho dependente poderão obter 10% de desconto; famílias com dois filhos dependentes 15% de desconto; famílias com três ou mais filhos dependentes: 20% de desconto do valor do IMI.

No entanto, para poder ter direito terá de reunir a seguintes condições:

  • Os filhos dependentes têm de ter idade inferior a 25 anos e não auferirem quaisquer rendimentos;
  • A família em questão tem que ser proprietária exclusiva do imóvel;
  • O imóvel tem que ser utilizado como habitação própria e permanente;
  • O imóvel em questão tem de ser o domicílio fiscal da família e a morada estar registada nas finanças para efeitos de notificações e impostos.

De realçar que como o IMI é um imposto cuja receita reverte para o município onde se situa o imóvel, cabe à respetiva Câmara Municipal decidir quais as famílias que vão usufruir desta vantagem, explica a plataforma. Isto significa que, mesmo que o seu agregado familiar cumpra as condições gerais referidas, pode não ser contemplado com este benefício, pois cada município define os seus critérios específicos.

Para saber se o seu município aderiu ao IMI familiar, poderá consultar o Portal das Finanças e pesquisar por 'Taxas do Município'. Depois, escolha a opção 'Consultar Taxas do Município' e, nesta página, deverá escolher o ano e o distrito onde se localiza o imóvel e clicar em 'continuar'. Em seguida, quando surgir a lista com todos os municípios  e informações sobre a taxa de IMI, deverá clicar em '+ Info' referente ao seu concelho na coluna 'Dedução fixa por agregado'.

Já de forma a saber se pode beneficiar do IMI familiar, deverá consultar a página da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas (APFN) para saber se o seu município aderiu à medida Plano Familiar. Se sim, o seu agregado familiar tem de cumprir todas as condições acima descritas e apresentar a sua candidatura à Câmara Municipal.

Leia Também: IMI: Nove câmaras com taxa máxima. Consulte 'aqui' a do seu município

Campo obrigatório