Meteorologia

  • 25 SETEMBRO 2022
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 24º
Imobiliário Habitação Avaliação bancária atinge novo recor...

Avaliação bancária atinge novo recorde de 1.272 euros por metro quadrado

O valor a que a banca está a avaliar os imóveis para efeitos de concessão de crédito aumentou em novembro, com o metro quadrado a fixar-se nos 1.272 euros.

Avaliação bancária atinge novo recorde de 1.272 euros por metro quadrado

A avaliação que é feita pelos bancos às casas na hora de conceder financiamento para a compra voltou a aumentar, atingindo um novo máximo histórico. Segundo dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em novembro, o valor mediano de avaliação bancária foi 1.272 euros, mais 21 euros do que o observado em outubro.

"O valor mediano de avaliação bancária foi 1.272  euros em novembro, mais 21 euros que o observado no mês precedente. Em termos homólogos, a taxa de variação aumentou para 11,2% (10,6% em outubro)", informa o INE.

De acordo com o instituto de estatística, no mês passado, o valor mediano de avaliação bancária, realizada no âmbito de pedidos de crédito para a aquisição de habitação,  fixou-se em 1.272 euros por metro quadrado, tendo aumentado 1,7% face a outubro,  mês quando foram registados cerca de 1.251 euros por m2.

De realçar que todas as regiões apresentaram aumentos face ao mês anterior à exceção do Alentejo e da Região Autónoma da Madeira, que mantiveram o mesmo valor. As maiores variações registaram-se no Centro e no Algarve (2,2% e 2,1%, respetivamente).

Já em comparação com o mesmo período do ano anterior, o valor mediano das avaliações cresceu 11,2%, registando-se a variação mais intensa na Área Metropolitana de Lisboa (11,1%) e a menor na Região Autónoma dos Açores (0,5%).

Apartamentos

No mesmo mês em análise, o valor mediano de avaliação bancária de apartamentos foi 1.401 euros por m2, tendo aumentado 11,9% relativamente a novembro de 2020. O valor mais elevado foi observado no Algarve (1.701 euros por m2) e o mais baixo no Alentejo (905 euros por m2).

No entanto, a Área Metropolitana de Lisboa apresentou o crescimento homólogo mais expressivo (11,6%), tendo a Região Autónoma dos Açores apresentado o menor (2%), refere o INE.

Comparativamente com o mês anterior, o valor de avaliação subiu 1,2%, tendo a Região Autónoma dos Açores registado a maior subida (3,3%). A única descida verificou-se na Região Autónoma da Madeira (-0,1%).

Faz ainda notar o instituto de estatística que o valor mediano da avaliação para apartamentos T2 subiu 10 euros, para 1.422 euros por m2, tendo os T3 subido 19 euros, para 1.248 euros por m2. No seu conjunto, estas tipologias representaram 80,3% das avaliações de apartamentos realizadas no período em análise.

Moradias

Por seu turno, o valor mediano da avaliação bancária das moradias foi de 1.031 euros por m2 em novembro, o que representa um acréscimo de 8,1% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

De acordo com os mesmos dados, os valores mais elevados observaram-se no Algarve (1.758 euros por m2) e na Área Metropolitana de Lisboa (1.694 euros por m2), tendo o Alentejo registado o valor mais baixo (840 euros por m2).

Segundo o instituto de estatística, o Algarve apresentou o maior crescimento homólogo (10,3%) e o menor ocorreu na Região Autónoma dos Açores (1,2%).

Comparativamente com o mês anterior, o valor de avaliação aumentou 2,1%. O Algarve apresentou o aumento mais acentuado (6,0%), tendo o Alentejo apresentado a única redução (-2,2%). 

Comparando com outubro, os valores das moradias T2, T3 e T4, tipologias responsáveis por 88,9% das  avaliações, atingiram os 976 euros por m2 (mais 20 euros), 1 019 euros por m2 (mais 22 euros) e 1.092 euros por m2 (mais 14 euros).

[Notícia atualizada às 11h15]

Leia Também: Avaliação bancária atinge novo recorde de 1.251 euros por metro quadrado

Campo obrigatório