Meteorologia

  • 01 DEZEMBRO 2021
Tempo
16º
MIN 6º MÁX 18º

Edição

Imobiliário Arrendamento Arrendar casa ou quarto está agora à...

Arrendar casa ou quarto está agora à distância de uma videochamada

Está à procura de casas ou quartos para arrendar, mas não tem disponibilidade em sair do local onde se encontra? A startup portuguesa Inlife poderá ter a solução.

Arrendar casa ou quarto está agora à distância de uma videochamada

Se está a pensar em arrendar uma casa ou um quarto, mas não tem disponibilidade para sair do local onde se encontra, nem deslocar-se a outra cidade, a startup portuguesa Inlife poderá ter a solução. Isto porque a Inlife é uma plataforma digital que facilita o processo de arrendamento de quartos, casas e até de residências ou espaços de 'coliving', informa o jornal Construir.

De acordo com o jornal, esta app foi lançada em 2019 para ajudar estudantes e profissionais a encontrar alojamento mobilado pronto a habitar em várias cidades do país, sendo possível concretizar o processo de arrendamento por videochamada em tempo real.

“A plataforma da Inlife foi concebida para permitir a qualquer pessoa um processo de reserva rápido e sem burocracia envolvida, sendo o seu grande ponto de diferenciação o serviço de agendamento, gestão e realização de visitas por videochamada em direto entre inquilino e senhorio, tudo dentro da plataforma, para otimizar o tempo e eficiência do processo para ambas as partes”, revela Pedro Gancho, CEO da Inlife.

Nestas visitas, salienta o jornal, os potenciais inquilinos terão a oportunidade de conhecer as condições da casa em tempo real e saber como chegar à estação de metro ou autocarro mais próxima, por exemplo.

"Queremos, sobretudo, oferecer às pessoas um processo de arrendamento rápido, descomplicado e transparente, que permita que façam uma escolha informada e confiante, para encontrarem a casa certa e desfrutarem de uma excelente estadia”, acrescenta o responsável.

Atualmente, faz ainda sobressair o jornal, a Inlife está atualmente presente nas cidades de Lisboa, Porto, Coimbra e Évora, com previsões para entrar em Espanha e Itália já no início do próximo ano.

Leia Também: Preço das casas para arrendar caiu 4,1% no último ano, revela plataforma

Campo obrigatório