Meteorologia

  • 08 DEZEMBRO 2021
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 14º

Edição

Finanças Investimentos Imobiliário é o segundo setor onde o...

Imobiliário é o segundo setor onde os milionários mais investem

De acordo com a MoneyTalkNews, indivíduos de elevado património líquido colocam o seu dinheiro em diferentes ativos financeiros, incluindo ações, fundos mútuos, contas de reforma e imóveis.

Imobiliário é o segundo setor onde os milionários mais investem

Há mais de 200 anos que o setor imobiliário tem sido o investimento mais popular entre os milionários para conseguir manter o seu dinheiro. Segundo explica a MoneyTalkNews, a tendência começou com a compra de uma  habitação própria e permanente e depois outras residências, nomeadamente, para colocar no mercado de arrendamento. Depois, começaram a investir em imóveis comerciais como edifícios de escritórios, hotéis, estádios, pontes, entre outros.

Os milionários têm muitas vezes grandes carteiras de imóveis e muitos milhões ligados ao imobiliário, escreve o 'site' de finanças. Depois de se estabelecerem como potenciais compradores no mercado imobiliário, os consultores imobiliários começaram a indicar-lhes cada vez mais negócios, pois consideram uma forma fácil de se adquirir um rendimento estável

Ainda assim, faz sobressair a MoneyTalkNews, o imobiliário é um investimento lucrativo a longo prazo, para os milionários, porque gostam de rendimento passivo. Um fator que encontraram neste setor, refere o 'site'.

Onde é que o milionários investem a sua fortuna?

De acordo com a MoneyTalkNews, indivíduos de elevado património líquido colocam o seu dinheiro em diferentes ativos financeiros, incluindo ações, fundos mútuos, contas de reforma e imóveis.

Em primeiro lugar surgem os títulos monetários, como Certificados ou Obrigações do Tesouro. Depois, o setor imobiliário e os fundos de ações. Já longe da Bolsa, há quem prefira investir em matérias-primas e objetos, desde ouro a automóveis vintage ou obras de arte. Por fim, temos as criptomoedas, ou seja, moedas digitais.

Leia Também: Fundos imobiliários geriram menos 124,7 milhões do que em setembro

Campo obrigatório