Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2021
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 23º

Edição

Lar Eficiência energética Deverá a resiliência climática fazer...

Deverá a resiliência climática fazer parte das normas dos edifícios?

Para alcançar “edifícios resilientes ao clima”, é necessária uma “abordagem sistémica para avaliar a resiliência e o desempenho de longo prazo dos edifícios", revelam especialistas.

Deverá a resiliência climática fazer parte das normas dos edifícios?

Projetar edifícios para o futuro tendo em conta os efeitos das alterações climáticas é a mensagem do especialista canadiano Michael Lacasse, segundo avança a revista Edifícios e Energia. Para o especialista, o setor da construção irá estar exposto à crise climática, por isso, esta deverá ser a principal preocupação dos profissionais do setor.

O responsável do Construction Research Centre do National Research Council Canada (NRC) falava durante a CEES 2021 que decorre até sexta-feira em Coimbra. Numa participação da primeira edição da conferência internacional dedicada à construção, energia, ambiente e sustentabilidade, Lacasse informou sobre o trabalho que tem sido desenvolvido relativamente à compreensão dos efeitos das alterações climáticas na durabilidade do ambiente construído no Canadá. E a resposta está em “aumentar a resiliência dos edifícios.

De forma a alcançar esse objetivo, o especialista dá conta de três etapas. A primeira refere-se à necessidade de entender as alterações nas cargas climáticas, tendo em consideração o histórico e as projeções da construção para o futuro, escreve a revista, citando o especialista.

Depois, simular e prever os impactos ao nível da resistência dos edifícios e dos sistemas. Isto porque poderá ser expectável que os efeitos térmicos causem uma mudança no uso de energia ou na capacidade necessária dos equipamentos de climatização, por exemplo.

Por fim, este conhecimento deverá servir para criar ou atualizar normas, que irão enquadrar a atividade dos profissionais do setor, quer para a construção de novos edifícios, quer para a reabilitação, no âmbito de uma maior resiliência.

Assim, para alcançar “edifícios resilientes ao clima”, é necessária uma “abordagem sistémica para avaliar a resiliência e o desempenho de longo prazo dos edifícios”, afirma Lacasse.

De realçar que a CEES 2021 é um encontro que tem como objetivo reunir investigadores, engenheiros, gestores e todos os agentes envolvidos em políticas de construção, energia e ambiente, num debate sobre a sustentabilidade do ambiente construído e durante o qual serão apresentados trabalhos científicos relevantes nestas matérias e que se espera que impactem a indústria da construção.

Leia Também: Tektónica e SIL 2021 receberam um total de mais de 12 mil visitantes

Campo obrigatório