Meteorologia

  • 29 NOVEMBRO 2021
Tempo
14º
MIN 10º MÁX 16º

Edição

Imobiliário Arrendamento Há 31 municípios com rendas acima do...

Há 31 municípios com rendas acima do valor nacional de 5,82 euros por m2

Na primeira metade do ano, Lisboa apresentou o valor mais elevado nos contratos de arrendamento (11,12 euros por m2). Destacando-se ainda, com valores iguais ou superiores a 7 euros por m2, surge Cascais (10,56 euros por m2) em segundo lugar e Oeiras (9,86 euros por m2) em terceiro.

Há 31 municípios com rendas acima do valor nacional de 5,82 euros por m2

No 1.º semestre de 2021, cerca de 31 municípios apresentaram rendas acima do valor nacional de 5,82 euros por m2, revela o INE. De acordo com os dados hoje divulgados, Lisboa foi a zona que apresentou o valor de arrendamento mais elevado (11,12 euros m2). Seguem-se Cascais (10,56 euros por m2) em segundo lugar e Oeiras (9,86 euros por m2) em terceiro.

Ainda a registar valores iguais ou superiores a 7 euros por m2, para arrendar uma casa, está a Amadora (8,76 euros por m2), Porto (8,61 euros por m2), Almada (8,36 euros por m2), Odivelas (8,21 euros por m2), Loures (7,78 euros por m2), Matosinhos (7,57 euros por m2), Loulé (7,54 euros por m2), Lagos (7,45 euros por m2), Albufeira (7,37 euros por m2), Sintra (7,25 euros por m2) e Portimão (7,07 euros por m2). 

Nas restantes NUTS III, assinalam-se também os municípios do Funchal (6,76 euros por m2) e Aveiro (6,26 euros por m2), com rendas superiores ao valor nacional. 

Segundo o instituto de estatística, o padrão territorial das rendas por metro quadrado de novos contratos de arrendamento destacava, com valores superiores ao do país, os municípios da Área Metropolitana de Lisboa (16 em 18 municípios), do Algarve (9 em 16) e da Área Metropolitana do Porto (4 em 17).

Em sentido contrário, a Moita foi a sub-região NUTS III a registar menor amplitude das rendas medianas entre municípios (5,80 euros por m2). Sendo que as NUTS III Área Metropolitana do Porto (5,31 euros por m2), Região de Aveiro (3,34  euros por m2) Região Autónoma da Madeira (3,24 euros por m2) e Região de Coimbra (3,18  euros por m2) registaram também um diferencial entre municípios superior a 3 euros por m2. 

Lisboa: Freguesia do Beato foi a única com taxa de variação homóloga positiva da renda mediana 

No 1.º semestre de 2021, duas das 24 freguesias de Lisboa registaram valores medianos de novos contratos de arrendamento de habitação superiores a 13 euros por m2. Sendo elas, a freguesia de Santo António (13,28 euros por m2) e da Misericórdia (13,13 euros por m2). Por outro lado, as freguesias de Santa Clara (8,11 euros por m2), Marvila (9,70 euros por m2) e Lumiar (10,02 euros por m2) apresentaram os valores mais baixos, informa o INE. 

Nesse mesmo período, 23 das 24 freguesias de Lisboa registaram taxas de variação homóloga negativas, sendo a freguesia do Beato (+0,1%) a exceção. Segundo o instituto de estatística, as freguesias Parque das Nações e São Vicente registaram rendas acima do município de Lisboa (11,12 euros por m2) e taxas de variação, face ao período homólogo, superiores que a verificada no município de Lisboa (-6,7%). 

Por seu turno, as freguesias de Santa Clara, Lumiar, Olivais, Areeiro, Carnide, São Domingos de Benfica e Belém registaram valores de arrendamento e taxas de variação face ao período homólogo inferiores aos do município de Lisboa. 

Porto: União de freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória registou o valor mais elevado de renda mediana

No Norte do país, foi a União de freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória que se destacou por registar o valor de rendas de novos contratos mais elevado (9,17 euros por m2), entre as sete freguesias do município do Porto, no primeiro semestre. 

Já Ramalde (8,04 euros por m2) e Campanhã (7,65 euros por m2) registaram os valores abaixo da renda mediana do município do Porto (8,61 euros por m2) e uma taxa de variação homóloga (-8,2% e -4,4%, respetivamente) inferior à do Porto (-3,6%), divulgam os mesmos dados. 

Por seu turno, Bonfim (8,94 euros por m2) e a União de freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos (8,91 euros por m2) apresentaram um valor mediano de rendas acima do valor do município do Porto e uma taxa de variação homóloga (-5,2% e -6,1%, respetivamente) inferior à verificada na cidade Invicta. 

No mesmo período em análise, a União de freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde (9,06 euros por m2) e a União de freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória apresentaram rendas medianas e taxas de variação homóloga (-2,7% e -1,5%, respetivamente) superiores ao verificado no Porto. 

Leia Também: Renda dos novos contratos de arrendamento subiu 11,5% no 2.º trimestre

Campo obrigatório