Meteorologia

  • 29 NOVEMBRO 2021
Tempo
14º
MIN 10º MÁX 16º

Edição

Lar Conselhos Desapego material: Comece hoje a 'd...

Desapego material: Comece hoje a 'destralhar' a casa com estas dicas

O desapego material é uma forma de estar na vida que deve ser posta em prática por todos. Mas como? Fique a par de algumas dicas.

 Desapego material: Comece hoje a 'destralhar' a casa com estas dicas

A verdade é que o ser humano tem por hábito de se apegar a coisas materiais. Seja uma peça de roupa, uma louça especial ou, mesmo, um móvel com significado sentimental. Ainda assim, as coisas podem e até devem funcionar de outra forma. De acordo com o Ekonomista, o desapego material é uma forma de estar na vida que deve ser posta em prática por todos. Mas como?

O essencial é desapegar-se de tudo aquilo que já não acrescenta nada no seu dia a dia e em todos os campos da sua vida, revela a plataforma especialista em soluções para a casa.

Assim, não perca mais tempo e comece hoje mesmo a 'destralhar' a sua casa. Fique a par de algumas dicas, enumeradas pelo Ekonomista.

Guarda-roupa

É por aqui que deve começar em primeiro lugar. Isto porque o guarda roupa é normalmente um dos sítios onde guardamos mais 'tralha'. O armário é habitualmente o sitio onde existem várias peças de vestuário ou de calçado de que gostamos e que nos parecem ser difíceis de abdicar. Quando isso acontece, o desapego material entra em ação, afirma o Ekonomista. Como? Basta que pense nas pessoas que dariam bom uso a essas peças que só ocupam espaço, revela a plataforma.

Loiça

Em primeiro lugar, utilize os conjuntos que mais gosta. Aqui o mote é 'se o faz feliz, use-o mais vezes'. Depois, basta que se certifique de que todas as louças que tem nos armários da cozinha e da sala são realmente utilizadas. Caso não as use, repasse para alguém que realmente dê uso. Poderá até vendê-las numa feirinha de rua e fazer uns trocos, faz notar a plataforma.

Acessórios

Pela lógica do desapego material, se não usa e não gosta muito, livre-se delas. Ainda assim, não pense que por descartar itens oferecidos por pessoas que gosta menos delas. Assim, se tem objetos num canto ou numa caixa escondidos, pois não quer desfazer-se dessas prendas, eis que chegou o momento de se livrar deles. 

Têxteis

Os têxteis também não escapam. Faça uma seleção de todos os que tem e doe o que não usa. Para o Ekonomista, esta pequena tarefa irá deixar o seu armário e sua casa mais leves, assim como o seu espírito. Pois esta é uma organização que acaba também por ser mental, e que serve quase como uma sessão de relaxamento, sublinha a plataforma.

Caixa de recordações

Sabe aquela caixa cheia de coisinhas e recordações escondida debaixo da cama? Está na hora de a revisitar e analisar o que tem lá dentro. Tudo que lhe causar estados emocionais menos positivos, terão de seguir o seu caminho. Isto porque, nas palavras do Ekonomista, guardar objetos que nos relembram de momentos menos bons, não faz muito bem ao espírito.

Papelada

De certo que deve ter acumulado alguma papelada, ao longo dos anos. Ainda assim, saiba que nem todos os documentos são necessários manter após algum tempo. Tome nota do tempo que deve guardar, segundo o Ekonomista:

  • 6 meses: Faturas de serviços essenciais (eletricidade, água ou gás) e recibos de despesas de alojamento e alimentação;
  • 1 ano: Faturas de obras em casa;
  • 2 anos: Bens móveis (televisão, frigorífico, telemóvel novo, por exemplo); Despesas com oficinas e com advogados;
  • 3 anos: Despesas na área da saúde;
  • 4 anos: Faturas inseridas manualmente o Portal e-Fatura e comprovativos de Imposto Único de Circulação;
  • 5 anos: Tudo relacionado com bens imoveis, rendas de casa e quotas de condomínio.

Leia Também: Como preparar a casa para o verão: Há uma alteração em cada divisão

Campo obrigatório