Meteorologia

  • 19 SETEMBRO 2021
Tempo
17º
MIN 17º MÁX 26º

Edição

Imobiliário Habitação Nova residência de estudantes no Por...

Nova residência de estudantes no Porto irá custar cerca de 30 milhões

As empresas Big City e Reditum associaram-se para financiar a construção de uma nova residência universitária, na cidade Invicta. O empreendimento conta com um investimento de cerca de 30 milhões de euros e deverá ficar concluído em julho de 2022, antes do início do ano letivo.

Nova residência de estudantes no Porto irá custar cerca de 30 milhões

A BigCity, empresa de desenvolvimento, investimento e gestão de propriedades especializada em alojamento para estudantes e co-living em toda a Europa, e a Reditum Capital, associaram-se para financiar a construção de uma nova residência de estudantes no Porto, o BigCity Asprela. O investimento deverá rondar os 30 milhões de euros.

"Esta transação permite aos nossos investidores ter acesso a uma fantástica adição à oferta de residências para estudantes no Porto", afirma diz Mark Stephen, fundador e managing diretor da Reditum Capital. E marca a entrada das empresas em Portugal, segundo o Property Funds World, que descreve o nosso país como tendo um mercado de alojamento estudantil bastante "fragmentado” e com um desequilíbrio entre a oferta e a procura habitacional.

Localizada no campus da Asprela, esta nova residência de estudantes irá disponibilizar cerca de 241 camas para estudantes. O edifício de 12 andares, projetado pela OODA e que está a ser o construído pela Teixeira Duarte, deverá ficar concluído em julho de 2022, antes do início do ano letivo.

De acordo com o Property Funds World, a residência terá 209 estúdios, 22 camas individuais e 10 quarto com casa de banho privada, cozinha, guarda-roupa e espaço de arrumação, ar-condicionado e varanda privativa. Voltado para estudantes internacionais, o empreendimento ficará a cargo da CRM Students.

"O BigCity Asprela é uma oportunidade atraente, já que existe uma desproporção significativa na oferta no Porto, em particular devido ao crescimento dos estudantes internacionais", sustenta Mark Stephen.

Por seu lado, Charlie Alcock, CEO da BigCity, destaca que é este tipo de projeto que a empresa quer continuar a oferecer aos investidores, isto é,  "edifícios bem localizados, interessantes e sustentáveis, criando uma experiência de vida inclusiva para os residentes.

Leia Também: Começaram as obras da quarta residência de estudantes em Lisboa

Campo obrigatório