Meteorologia

  • 23 JULHO 2021
Tempo
25º
MIN 17º MÁX 26º

Edição

Imobiliário Construção Dupla de arquitetos portugueses venc...

Dupla de arquitetos portugueses vence concurso internacional na Islândia

O atelier Sastudio no Porto ganhou uma competição na Islândia com um projeto para um jardim infância que promove a consciência e o respeito pelo meio ambiente e cria oportunidades de aprendizagem através do estudo e da diversão.

Projeto para um jardim de infância do Sastudio

O escritório de arquitetura português Sastudio no Porto, fundado por Tiago Sá e Hulda Jóns, em parceria com o estúdio islandês Huldajons, venceu o concurso internacional na Islândia, organizado pela Câmara Municipal da cidade, com o projeto para um jardim de infância, em Garðabær. A notícia é adiantada pela plataforma especializada no setor da construção, Archdaily.

A proposta do projeto vencedor, com construção prevista para 2022, é constituída por volumes empilhados que permitem que todas as áreas de jogos interiores se expandam para a vegetação exterior, seja um jardim, terraço ou varanda, lê-se na página oficial do atelier.

Revela o Archdaily que o projeto preocupa-se também em promover a consciência e o respeito pelo meio ambiente e cria oportunidades de aprendizagem através do estudo e da diversão. "A arquitetura foi pensada para despertar a curiosidade e estimular o movimento, tanto por fora quanto por dentro", revela a equipa de arquitetos. Ou seja, o conceito pretende refletir um ambiente seguro e acolhedor para brincar e crescer, onde o próprio edifício e as áreas exteriores se materializam como parte da experiência de aprendizagem.

Para a sua concretização, foi então decidido utilizar o número máximo de pisos de acordo com o zoneamento de forma a reduzir a dimensão do edifício e ter um parque infantil maior. A equipa faz ainda notar que "é possível entrar no prédio por três direções, abrindo-o ainda mais para a esfera pública e a comunidade."

A zona do parque infantil inspira-se no ecossistema do lago vizinho, Urriðavatn, e está conectado a áreas verdes no perímetro do terreno, com a composição paisagística a definir uma área de estar para ensino ao ar livre, e a colina natural é preservada permitindo escaladas no verão e descidas de trenós no inverno. 

O ciclo alimentar é posto em evidência pela exposição da cozinha e da greenhouse, tanto do exterior como do interior pela sala polivalente. Há também uma área de cultivo didática, para que as crianças vivenciem os alimentos desde o cultivo.

A plataforma brasileira especialista no setor da construção salienta ainda que a materialidade é selecionada com consciência do impacto ambiental e o sistema estrutural é simples e permite uma construção rápida e eficiente que minimiza o desperdício. Para que tenha uma noção, a chuva que cai nas coberturas é recolhida, canalizada e usada para aprender, antes de retornar à natureza. 

Leia Também: Projeto português vence o 1.º prémio na categoria arquitetura residencial

Campo obrigatório