Meteorologia

  • 23 JUNHO 2021
Tempo
22º
MIN 15º MÁX 27º

Edição

Imobiliário Construção MatosinhosHabit apresenta propostas ...

MatosinhosHabit apresenta propostas para as Áreas de Reabilitação Urbana

No seguimento do processo construtivo de delimitação das novas Áreas de Reabilitação Urbana (ARU), a MatosinhosHabit vai iniciar as sessões públicas de apresentação das sete novas áreas de reabilitação urbana e respetivos benefícios fiscais.

MatosinhosHabit apresenta propostas para as Áreas de Reabilitação Urbana

No seguimento do processo construtivo de delimitação das sete novas Áreas de Reabilitação Urbana (ARU) a MatosinhosHabit vai iniciar as sessões públicas de apresentação destas novas áreas e respetivos benefícios fiscais, lê-se na página oficial do programa municipal. As sessões realizam-se já na próxima semana e poderão ser acompanhadas em direto nas redes sociais e no site.

As freguesias onde vão ser criadas novas ARU são: Senhora da Hora, Custóias, Leça do Balio, Guifões, Perafita, Lavra e Santa Cruz do Bispo.

Considerando o trabalho desenvolvido na regeneração urbana do território, ao longo dos últimos anos, pelo município de Matosinhos, a MatosinhosHabit, está a promover a abertura de novas ARU por todas as freguesias do concelho. Lê-se na página oficial do programa que todo este processo é alavancado através das políticas urbanas de gestão territorial do município, de onde se destacam os apoios financeiros, regulamentares e fiscais.

Tiago Maia, administrador da MatosinhosHabit, salienta que "estas intervenções não se resumirão apenas à promoção da reabilitação física dos edifícios em deficiente estado de conservação, já que irão incluir também a dimensão física, integrando assim uma estratégia que valorize igualmente as vertentes histórica, funcional, económica, social, cultural e ambiental."

Note que as sete novas ARU devem obedecer a diversos critérios previamente estabelecidos, nomeadamente coincidir o perímetro urbano do Plano Diretor Municipal com o limite exterior da ARU; excluir os terrenos livres de edificação, disponíveis para expansão urbana, situados no limite exterior da ARU; preencher com novas edificações as frentes urbanas sem construção e os terrenos livres de edificações; e excluir as áreas urbanas disponíveis a consolidar e as áreas classificadas como solo rústico.

Leia Também: Idealista e MatosinhosHabit desenvolvem estudo imobiliário residencial

Campo obrigatório