Meteorologia

  • 22 SETEMBRO 2021
Tempo
20º
MIN 18º MÁX 28º

Edição

Imobiliário Habitação Rendas? Taxa de esforço supera um te...

Rendas? Taxa de esforço supera um terço do rendimento familiar

Em oito cidades portuguesas, a taxa de esforço recomendada, de um terço dos rendimentos para pagar a renda, é superada. Setúbal, Faro e Évora registam maior percentagem dos seus rendimentos.

Rendas? Taxa de esforço supera um terço do rendimento familiar

A taxa de esforço das famílias para o pagamento da renda de uma casa em Portugal pode ir até aos 41%, segundo um estudo publicado pelo idealista que cruzou os preços de arrendamento de março de 2021 com a estimativa de rendimentos líquidos familiares nesse mesmo período de tempo, revela comunicado enviado às redações.

Em oito cidades portuguesas, a taxa de esforço recomendada, de um terço dos rendimentos para pagar a renda, é superada.

Setúbal, Faro e Évora são as cidades que destinam uma maior percentagem

Setúbal é a cidade onde é necessário fazer um maior esforço, visto que as famílias precisam destinar 41% dos seus rendimentos para pagar a renda. Seguem-se Faro, com 39% dos rendimentos necessários para o arrendamento da casa, Évora (38%), Lisboa (36%), Beja e Vila Real, ambas com uma taxa de esforço de 34%.

No limite da taxa de esforço recomendada para o arrendamento de uma casa, encontram-se as cidades de Castelo Branco com 32%, Porto (31%), Santarém (30%), Aveiro e Viseu com um esforço de 29% para ambas as cidades. Já o esforço dos habitantes de Coimbra é de 28%, para Ponta Delgada e Guarda (26% para ambas as cidades), seguidas pelo Funchal com 25%.

Bragança é a cidade com menor taxa de esforço do país (18%), seguida por Portalegre e Leiria, (21% para ambas as cidades), Viana do Castelo (23%) e Braga (24%).

Leia Também: Funchal investe 1,3 milhões para apoiar concessionários a pagar as rendas

Campo obrigatório