Bataclan cantou 'Liberdade' em português com Resistência

A sala de espetáculos Bataclan, em Paris, encheu-se hoje para ouvir o grupo Resistência, com o cantor Miguel Ângelo a afirmar "Je suis Paris" e a justificar a presença do grupo no palco, como prova de que é preciso ser livre e "não ter medo".

© Facebook/Resistência

Cultura Paris 29/01/17 POR Lusa

 

PUB

A frase 'Je suis Paris', em referência ao 'slogan' que correu mundo depois dos atentados na capital francesa, surgiu no final da canção 'Liberdade', em que a sala entoou "Canta liberdade, alto e sem medo".

Momentos antes, Miguel Ângelo afirmou: "A próxima canção diz que a liberdade está quase perdida. A nossa vinda aqui esta noite e a nossa celebração mostra o contrário. A liberdade continua nossa. Podemos ir ver concertos, ir ver jogos de futebol, andar de metro, sermos livres e não termos medo."

Mas foi com um 'Bonsoir Paris, Bonsoir Portugal' que os músicos abriram o concerto, mediante sala cheia, muitos aplausos, muitos telemóveis a filmar e, pelo menos, duas bandeiras portuguesa no meio da multidão.

Cerca de 1700 pessoas encheram a sala, segundo as contas da associação de jovens Cap Magellan - que organizou o concerto, no âmbito do 25.º aniversário - e entoaram a primeira música, 'Nasce Selvagem', cantando em coro "mais do que um partido, uma equipa ou religião, tu pertences a ti, não és de ninguém".

Seguiram-se muitos aplausos e Miguel Ângelo afirmou: "É muito bom estar de volta, de regresso a Paris! É muito bom estar na festa dos 25 anos da Cap Magellan. É muito bom estar nesta festa de música ao vivo. É muito bom estar no Bataclan!"

A sala ecoou outros êxitos dos Resistência como 'A Noite', 'Não sou o único', 'Vai sem medo', 'Timor', 'Amanhã é sempre longe de mais', 'Aquele Inverno', 'Circo de feras' e 'Um lugar ao sol', entre muitas outras canções.

Antes do final do concerto, Hermano Sanches Ruivo, vereador-executivo da Câmara de Paris e fundador da Cap Magellan, subiu ao palco para lembrar as vítimas dos atentados de 13 de novembro de 2015, nomeadamente Precilia Correia, que morreu no ataque ao Bataclan, e Manuel Colaço Dias, que morreu no ataque ao Stade de France.

"Não quero um minuto de silêncio, porque o que estamos a viver hoje é felicidade. Mas também temos de lembrar momentos mais difíceis e, nesses momentos difíceis, em 2015, perdemos alguns dos nossos", afirmou, lembrando os nomes de Precilia Correia e Manuel Colaço Dias, "vítimas do terror" e lançando: "Não devemos viver com medo."

Na primeira parte do espetáculo, subiram ao palco a cantora franco-angolana Lúcia de Carvalho e o lusodescendente Dani Selva, dois vencedores do Prémio Cap Magellan de melhor revelação artística 2016.

A sala Bataclan, localizada no centro da capital francesa, foi alvo dos atentados da noite de 13 de novembro de 2015, que causaram 130 mortos. O assalto armado à sala de espetáculos causou a morte de 90 pessoas. Um ano depois, a 12 de novembro, o Bataclan reabriu com um concerto do cantor britânico Sting.

Para assinalar os 25 anos de existência, além do concerto no Bataclan, a Cap Magellan organizou ateliês, este sábado e domingo, em torno do conceito de 'lusodescendência', na Maison du Portugal - André de Gouveia, sob o título "Primeiros Estados Gerais da Lusodescendência".

 

PARTILHE ESTA NOTÍCIA
Loading ...

RECOMENDADOS

Cultura Organização 13/09/18

Afinal, Festival Eurovisão da Canção 2019 vai acontecer em Telavive

Cultura 30 Seconds to Mars 13/09/18

Jared Leto interrompe concerto em Lisboa para ajudar fã

Cultura Portugal 13/09/18

Filmagens de 'Fátima' de Marco Pontecorvo nas próximas oito semanas

Cultura Literatura 13/09/18

Marcelo felicita Lobo Antunes pela inclusão das suas obras na Pléiade

Cultura Coreografia 13/09/18

'O Quebra Nozes' na nova temporada da Companhia Nacional de Bailado

Cultura Cinema 13/09/18

Spielberg disse 'não' à categoria de Óscar para o filme mais popular

Cultura Coimbra 13/09/18

Escritor português que escreveu em espanhol motiva colóquio internacional

Cultura Ministro da Cultura 13/09/18

Obra de Lobo Antunes na Pléiade é "justo e merecido reconhecimento"

Cultura Criação Artística 13/09/18

Primeira edição do Festival Exquisito começa hoje em Telheiras

Cultura Lisboa 13/09/18

MUDE abre novo concurso para obras de reabilitação do edifício

Cultura Iniciativa 13/09/18

Sábado e domingo há cinema grátis em Benfica

Cultura 'O táxi n.º 9297' 13/09/18

Filme mudo de Reinaldo Ferreira exibido em outubro em França

Cultura Autarquia 13/09/18

Câmara convida escolas a educar e aprender no "museu aberto" que é Lisboa

Cultura Artista 13/09/18

Hervé Di Rosa expõe em Roubaix obras realizadas na fábrica Viúva Lamego

Cultura Literatura 13/09/18

Pepetela homenageado este ano no festival Escritaria em Penafiel

Cultura D. Maria II 13/09/18

'À espera de Godot' em estreia com "partitura rítmica" do original

Cultura Concerto 13/09/18

Sevdaliza regressa a Lisboa já em novembro

Cultura Teatro 13/09/18

Jorge Silva Melo estreia novo espetáculo num sítio especial

Cultura Lisboa 13/09/18

Christiane Jatahy dirige 'Moving people' com migrantes no palácio Pimenta

Cultura Almada 13/09/18

Companhia de Dança faz leitura de 'Carmen' para o teatro Joaquim Benite

Cultura Ambiente 13/09/18

Filmes em português no CineEco abordam questões ambientais

Cultura Música 13/09/18

Portugal Alive leva Surma, Capicua, Best Youth e Bruno Pernadas a Espanha

Cultura Encenador 13/09/18

Pascal Rambert escreveu para atores portugueses na peça 'Teatro'