Covid-19: Brasil ultrapassa as 200 vítimas mortais

País sul-americano regista ainda mais de 5.700 casos infetados com o novo coronavírus.

© REUTERS/Rafael Marchante

Mundo Coronavírus 31/03/20 POR Notícias Ao Minuto

O Ministério da Saúde do Brasil divulgou, nesta terça-feira, que o número de vítimas mortais pelo novo coronavírus teve o maior salto diário e subiu para 201. Ao todo foram 42 óbitos confirmados nas últimas 24 horas.

PUB

Segundo o executivo brasileiro, liderado pelo Presidente Jair Bolsonaro, os casos confirmados do novo coronavírus no país chegaram aos 5.717, mais 1.138 que os 4.579 de segunda-feira. 

Foi batido um novo recorde no número de casos diagnosticados em apenas um dia (1.138), desde o início da pandemia no Brasil, que até agora tinha sido de 502 infetados em 24 horas.

A taxa de mortalidade da covid-19 no Brasil é de cerca de 3,5%, de momento.

De acordo com os dados hoje divulgados pelo Ministério da Saúde, aumentou para 18 o número de unidades federativas do Brasil a registarem óbitos devido ao novo coronavírus: Amazonas, Alagoas, Bahia, Ceará, Pernambuco, Piauí, São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Minas Gerais, Goiás, Paraná, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Maranhão, Santa Catarina, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.

Assim, todas as regiões do Brasil têm mortes confirmadas pela covid-19.

O sudeste continua a ser a região mais afetada pela pandemia, sendo São Paulo o epicentro. São 3.406 casos na região mais populosa do país. Apenas o estado de São Paulo registou 2.339 novos casos confirmados, contanto também com 136 vítimas mortais. Segue-se o Rio de Janeiro com 23 óbitos e 708 infetados e o Ceará que, até ao momento, contabilizou sete vítimas mortais e 390 casos positivos da covid-19. Minas Gerais conta com 275 novos casos e Espírito Santo com 84. O sudeste concentra 60% de todos os casos do país.

Numa conferência de imprensa interministerial, feita na tarde de hoje, o ministro da Economia brasileiro, Paulo Guedes, informou que as medidas tomadas pelo executivo para reduzir o impacto da crise do novo coronavírus já equivalem a 2,6% do Produto Interno Bruto (PIB).

"Nós já chegámos a 2,6% do PIB neste 'orçamento de guerra', que eu chamo de medidas de emergência. Já tínhamos um défice estrutural de 2,6% e estamos em 5,2% global. Vamos continuar a subir, porque a instrução do Presidente foi clara: não vai ficar nenhum brasileiro para trás", afirmou o ministro.

O Congresso brasileiro aprovou um subsídio mensal oferecido a trabalhadores independentes e informais - sem contrato de trabalho - atingidos pela crise do novo coronavírus, no valor de 600 reais (104 euros). Contudo, até ao momento, Jair Bolsonaro ainda não sancionou o projeto de lei, que precisa da sua aprovação para entrar em vigor.

Segundo Paulo Guedes, que assegurou que a aprovação ocorrerá a qualquer momento, o auxílio de 600 reais cedidos pelo Brasil é equivalente aos 1.200 dólares (1.087 euros) concedidos pelo Governo norte-americano.

"Estamos a gastar bem mais do que qualquer país da América Latina. Do ponto de vista do apoio que estamos a dar, com essa renda básica de 600 reais, comparada aos nossos rendimentos 'per capita' é igual à ajuda que os americanos estão a dar, de 1.200 dólares", disse o governante.

Na mesma conferência de imprensa, o ministro da Justiça, Sergio Moro, defendeu o isolamento de presos como medida de prevenção da pandemia do novo coronavírus.

"Há um ambiente de relativa segurança para o sistema prisional em relação ao coronavírus pela própria condição dos presos de estarem isolados da sociedade", afirmou Moro.

Em relação à possível libertação de presos que fazem parte de grupos de risco e em regime semiaberto - que lhes permite trabalhar durante o dia e os obriga a dormir na prisão -, Sergio Moro afirmou que essa opção deve ser "ponderada", acrescentando ser necessário "ter cuidado é com a libertação de prisioneiros que possam oferecer risco à população, como o crime organizado".

O sistema penitenciário brasileiro, considerado um dos piores do mundo, tem um défice de cerca de 350.000 vagas, o que há anos agrava a superlotação nas prisões.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 828 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 41 mil.

PARTILHE ESTA NOTÍCIA

RECOMENDADOS

País Proteção Civil Há 13 Horas

Helicóptero caiu em Góis com dois tripulantes. Um deles está ferido

País Coronavírus Há 13 Horas

"Jovens são o novo grupo de infetados aqui em Lisboa e Vale do Tejo"

País Afogamento Há 11 Horas

Jovem de 21 anos morre afogado em praia da Costa de Caparica

Mundo Covid-19 Há 23 Horas

AO MINUTO: 370 mil mortos no mundo. 3ª fase de desconfinamento amanhã

País Covid-19 Há 19 Horas

Covid-19: Portugal com mais 14 mortos e 297 casos de infeção

Mundo Vídeo Há 22 Horas

SUV fica sem travões. As imagens do momento de pânico

País Covid-19 Há 18 Horas

Sete detidos em festa ilegal com 40 pessoas em Rio Maior

País Crime Há 13 Horas

GNR e namorada esfaqueados em restaurante em Sintra

País Meteorologia Há 21 Horas

Ir à praia? Atenção, previsão de trovoada e chuva forte para 12 distritos

Lifestyle Dia Mundial sem tabaco Há 23 Horas

Covid-19: Mais um motivo para parar (já!) de fumar. Entenda