Responsável da NASA confessa que Júpiter é "genuinamente complicado"

O coordenador científico do programa da NASA que está a levar a primeira sonda espacial, a Juno, abaixo das nuvens de Júpiter Jared Espley confessou hoje que aquele planeta é "genuinamente complicado".

© DR
Tech Sonda Juno

Em Braga, na Universidade do Minho para uma palestra sobre a o estudo de Júpiter e das suas luas, o cientista daquela agência aeroespacial norte-americana explicou que o objetivo da missão que coordena passa por "tentar perceber" o que existe por de baixo das "nuvens" que envolvem o planeta.

PUB

A sonda Juno (que na mitologia romana era a deusa mulher de Júpiter) vai explorar durante 20 meses o planeta Júpiter, situado a 628 milhões de quilómetros da Terra e o maior planeta do Sistema Solar, com o objetivo de avaliar a atmosfera jupiteriana, por exemplo, em termos de composição, água, temperatura, movimento, bem como o magnetismo polar e a gravidade.

"Ainda é cedo para resultados mas estamos a começar a aprender, a perceber, que Júpiter é muito complicado. Os cientistas dizem sempre que tudo é complicado mas Júpiter é genuinamente complicado", afirmou o cientista.

O objetivo já Juno, explicou, é "tentar perceber o interior de Júpiter, o que acontece debaixo das nuvens, tentar perceber como é formado o planeta" mas é uma tarefa que se adivinha difícil.

"Seja por causa dos campos magnéticos, de onde veem, como são distribuídos, é muito mais complicado do que pensávamos", confessou.

A Juno pesa 3.6 quilos e tem 3.5 metros de diâmetro, movendo-se a energia solar.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser