Sete meses depois, o presidente da Uber não resiste às polémicas

O especialista de marketing Jeff Jones foi contratado para ‘aliviar’ a imagem da empresa tecnológica.

© iStock
Tech Saída

Está de saída da Uber o próprio presidente da empresa, Jeff Jones, dando como motivo as polémicas em que a empresa tecnológica tem estado envolvida. É importante mencionar o facto de a passagem pela Uber de Jones ter durado apenas sete meses, com o especialista em marketing a não ter conseguido digerir os escândalos que têm marcado os últimos meses.

PUB

“Juntei-me à Uber por causa da sua missão e pelo desafio de construir capacidades globais que ajudassem a empresa a amadurecer e a durar a longo prazo. É agora claro que as crenças e a abordagem à liderança que têm guiado a minha carreira são inconsistentes com o que vi e senti na Uber e portanto não possam mais continuar enquanto presidente do negócio de partilha de viagens”, pode ler-se no comunicado enviado à Reuters.

A resposta insuficiente à ordem executiva de Trump, a denúncia de um ambiente sexista e tóxico de uma ex-colaboradora assim como a discussão filmada em vídeo do CEO Travis Kalanick com um condutor da Uber não permitiram que a empresa entrasse em 2017 da melhor forma. Para tal, a Uber anunciou que contrataria um COO que servisse como ‘Nº 2’ de Kalanick, uma posição cuja criação também colocou em causa o lugar de Jones.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser