Meteorologia

  • 19 SETEMBRO 2019
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 27º

Edição

GNR demonstra 'drones' no controlo de doenças da vinha

Arcos de Valdevez, Viana do Castelo, 11 mar - A GNR vai testar no sábado, numa demonstração pública em Arcos de Valdevez, as potencialidades da utilização de meios aéreos não tripulados na deteção de doenças que afetam o setor vitivinícola, disse à Lusa fonte oficial.

GNR demonstra 'drones' no controlo de doenças da vinha

De acordo com a fonte da Secretária de Estado da Alimentação e da Investigação Agroalimentar a experiência surge na sequência do projeto-piloto iniciado o ano passado por aquela força policial de utilização de 'drones' na vigilância e prevenção de fogos florestais.

A mais-valia da aplicação daquela tecnologia à fileira do vinho poderá originar, segundo aquela fonte, uma candidatura a apresentar aos novos fundos europeus do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR 2020).

A candidatura conjunta integrará, adiantou, o Instituto Nacional de Investigação Agrária, a Direção Geral Direção-Geral da Alimentação e Veterinária (DGAV), a GNR, empresas especialidades naquela tecnologia e outras entidades do setor vitivinícola.

No sábado, em Arcos de Valdevez a demonstração a realizar pela GNR vai decorrer as potencialidades daqueles meios aéreos na deteção da flavescência dourada da videira, uma doença muito grave que provoca a morte da vinha.

A sessão vai decorrer na Estação Vitivinícola Amândio Galhano, um centro de experimentação e investigação vitivinícola criado pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) naquele concelho do distrito de Viana do Castelo.

Segundo a fonte daquela secretaria de Estado trata-se de um método de monitorização "mais ágil" das doenças que afetam a vinha e com resultados "mais rápidos" na delimitação e tratamento das mesmas.

Explicou que a possibilidade de utilização de ?drones' na fileira do vinho surge na sequência do projeto-piloto lançado no Alto Minho, em outubro de 2014, de aplicação daquela tecnologia à prevenção e combate a incêndios florestais.

Aquele projeto que permite através de um sistema informático operar a aeronave à distância foi apresentado no Centro de Meios Aéreos (CMA) dos Arcos de Valdevez, na freguesia de Tabaçô.

O 'drone', denominado Falcão foi desenvolvido por uma empresa privada e é operado por elementos da GNR, ao abrigo do programa VIANA de combate a incêndios, rescaldo e pós-rescaldo, bem como outras missões, tais como a de preservação da natureza, de busca e salvamento e de proteção de espécies.

Aquele sistema é também já utilizado pelo projeto transfronteiriço de Assistência Recíproca Inter-regional em matéria de Emergências (ARIEM-112) que em 2014 anunciou um investimento de 600 mil euros em 'drones' para reforçar a prestação de socorro aos cidadãos.

Na altura, fonte da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) explicou à Lusa que aquisição deste "equipamento sofisticado" vai "aumentar a capacidade de resposta em emergência" de um serviço que cobre uma população de quase 572 mil pessoas de 109 municípios do Norte de Portugal, Galiza, Castela e Leão.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Recebe truques e dicas sobre Internet, iPhone, Android, Instagram e Facebook!

O mundo tecnológico em noticias, fotos e vídeos.

Obrigado por ter ativado as notificações de Tech ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório