Meteorologia

  • 13 JUNHO 2024
Tempo
16º
MIN 14º MÁX 25º

Relatório de órgão consultivo da ONU para IA entregue até meados de julho

A copresidente do Conselho Consultivo de Alto Nível da ONU para a Inteligência Artificial Carme Artigas diz, em entrevista à Lusa, que o relatório final será entregue até julho e considera ser necessário um fundo global de capacitação.

Relatório de órgão consultivo da ONU para IA entregue até meados de julho
Notícias ao Minuto

09:22 - 19/05/24 por Lusa

Tech IA

Carme Artigas, que foi secretária de Estado da Digitalização e da inteligência artificial (IA) em Espanha, foi uma das oradoras do 33.º Congresso da APDC, que decorreu em Lisboa.

Em outubro do ano passado, o secretário-geral das Nações Unidas lançou um órgão consultivo multissetorial de alto nível sobre IA, que junta representantes do Norte Global, Sul Global, academia, setor privado e decisores políticos, para ajudá-lo nas questões da IA e o futuro da sua governação global.

"Ao todo são 39 pessoas que representam 32 países, cada um a trabalhar na sua capacidade pessoal", refere Carme Artigas.

O primeiro relatório intercalar foi publicado em dezembro, no qual é justificada a necessidade de uma governação global [da IA], porque "os esforços existentes, quer para os países nacionais, quer para o setor privado ou outras organizações", como a Unesco, G7, OCDE, entre outras, "não são suficientes", defende a responsável.

O relatório foi feito depois de terem sido tidas "mais de 50 reuniões em todo o mundo com diferentes 'stakeholders' [partes interessadas]", relata.

Carme Artigas refere que as pessoas questionam porque é que se precisa de governar a IA globalmente e este "é um pouco a discussão que está em andamento agora". "Queremos manter-nos independentes, queremos apenas que o nosso trabalho seja feito com base em evidências, com base em diferentes visões e até final de junho, meados de julho, emitiremos o relatório final".

"Tivemos três reuniões presenciais durante todo este tempo, uma em Nova Iorque em dezembro, a outra em Genebra há dois meses e a próxima em Singapura no final de maio", adianta, e a partir desta última "emitiremos o relatório final".

Este documento recomendará cinco tipos de formulários que precisam ser envolvidos para permitir a governação global de IA, porque "achamos que não há 'accountability'".

Carme Artigas diz que o órgão consultivo considera que há necessidade de uma plataforma para discutir sobre o risco da IA, a interoperabilidade técnica e convergência de quadros jurídicos.

"E aí propomos um pequeno escritório de coordenação, acho que não tem espaço para uma agência [...], o que precisamos é de uma coordenação" sobre o papel das agências da ONU para o setor privado, para a academia, acrescenta.

Segundo a responsável, o que está a ser proposto "é muito viável". No entanto, "acho que o que não é tão fácil agora é convencer todo mundo que esse é o caminho certo a seguir", diz.

As propostas serão entregues ao secretário-geral e depois isso será levado à Assembleia Geral das Nações Unidas.

"No final das contas estamos a colocar a conversa na agenda", sublinha.

Carme Artigas sublinha que uma das medidas importantes que gostaria de recomendar "é um fundo global de capacitação ['global fund for capacity building']" apoiado para IA.

Isto porque "existe um grande fosso entre o Norte Global e o Sul Global" e não se pode gerar mais divisões, mas mais inclusão.

Leia Também: Abandonou o X? A Threads tem uma boa notícia para si

Recomendados para si

;

Recebe truques e dicas sobre Internet, iPhone, Android, Instagram e Facebook!

O mundo tecnológico em noticias, fotos e vídeos.

Obrigado por ter ativado as notificações de Tech ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório