Meteorologia

  • 30 OUTUBRO 2020
Tempo
23º
MIN 13º MÁX 25º

Edição

Covid-19. Ventiladores criados com máscaras de mergulho da Decathlon

A ideia foi de um médico italiano, que lançou o desafio a uma empresa. O projeto saiu do papel e os resultados foram animadores.

Covid-19. Ventiladores criados com máscaras de mergulho da Decathlon

A empresa italiana Isinnova já estava a desenvolver esforços para ajudar as unidades hospitalares numa altura em que a pandemia de Covid-19 fustiga severamente o país. Mas um médico desafiou a tecnológica a ir mais longe e adaptar máscaras de mergulho da Decathlon para serem usadas como ventiladores. E há boas notícias: o projeto surtiu efeito.

A Isinnova começou por criar válvulas para ventiladores por impressão 3D em cerca de seis horas. Já quanto às máscaras, a história começou a desenhar-se quando um médico italiano, Renato Favero, chegou ao contacto com a empresa e propôs que esta ajudasse a contornar um dos principais problemas que os sistemas de saúde enfrentam: a falta de ventiladores para quem está internado nos cuidados intensivos e carece deste tipo de dispositivo médico.

O ex-diretor do Hospital Gardone Valtrompia propôs então à empresa que adaptasse máscaras de mergulho da Decathlon para serem usadas como ventiladores. A Isinnova de imediato entrou em contacto com o fornecedor, que se disponibilizou para "cooperar, fornecendo o desenho das máscaras 'Easybreath'". O produto, como revela a própria empresa na sua página, foi desmontado e as alterações foram feitas.

O protótipo foi então testado no Hospital Chiari, em Brescia, "o teste foi bem sucedido" e os médicos ficaram animados com o resultado. Porém, revela a empresa, este produto foi projetado para ser aplicado em unidades hospitalares em situações de emergência para fazer face à escassez de equipamentos oficiais, designadamente ventiladores. O equipamento não está, com vinca a Isinnova, certificado e o seu uso está sujeito à aceitação por parte do paciente, que deve assinar uma declaração em como concorda utilizar um dispositivo biomédico não certificado.

Atendendo à eficácia do projeto, a empresa decidiu patentear a válvula, a que deu o nome 'Charlotte', para "evitar qualquer especulação sobre o preço do componente". Mas, atendendo às circunstâncias, a empresa manterá a patente livre para que mais hospitais necessitados possam usá-la, se necessário. O arquivo para impressão 3D foi então partilhado para que fabricantes o possam imprimir corretamente.

Fique com o vídeo em que a empresa explica a adaptação da máscara: 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Recebe truques e dicas sobre Internet, iPhone, Android, Instagram e Facebook!

O mundo tecnológico em noticias, fotos e vídeos.

Obrigado por ter ativado as notificações de Tech ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório