Meteorologia

  • 24 ABRIL 2019
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 14º

Edição

NASA observa moléculas de água em movimento na Lua

Até à última década, os cientistas pensavam que a Lua era árida e que a água que existisse seria sobretudo em bolsas de gelo.

NASA observa moléculas de água em movimento na Lua
Notícias ao Minuto

16:35 - 11/03/19 por Notícias ao Minuto 

Tech Espaço

Os cientistas conseguiram observar moléculas de água em movimento no lado visível da Lua, com recurso a um instrumento a bordo do Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO), uma sonda espacial de observação lunar.

Um estudo publicado na Geophysical Research Letters descreve como as medidas feitas pelo Lyman Alpha Mapping Project (LAMP), o instrumento que permitiu a descoberta, da camada de moléculas de moléculas coladas à superfície ajudaram a caracterizar as mudanças de hidratação lunar ao longo de um dia.

"Este estudo é um passo importante para avançar a história da água na Lua e o resultado de anos de dados acumulados da missão do LRO", disse John Keller, cientista do centro da NASA e responsável pelo projeto.

Até à última década, os cientistas pensavam que a lua era árida e que a água que existisse seria sobretudo em bolsas de gelo em crateras da penumbra na proximidade dos pólos.

Mais recentemente, os cientistas identificaram águas superficiais em populações esparsas de moléculas ligadas ao solo lunar. Mas a quantidade e locais variam consoante a altura do dia. A água lunar é mais comum em latitudes mais elevadas e tende a mover-se à medida que a superfície aquece.

Sobre a possível origem da água lunar, os cientistas põem a hipótese de que o iões de hidrogénio no vento solar podem ser a origem da maior parte. Como resultado, quando a lua passa atrás da Terra é protegida do vento solar e a "torneira da água" fecha 

Esta água lunar pode ser potencialmente usada por humanos para criar combustível, como escudo contra a radiação ou para gestão térmica. Se estes materiais não precisarem de ser transportados da Terra, as futuras missões ficam mais acessíveis”, constatou Amanda Hendrix, investigadora do Instituto de Ciência Planetária, e principal autora do artigo.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Recebe truques e dicas sobre Internet, iPhone, Android, Instagram e Facebook!

O mundo tecnológico em noticias, fotos e vídeos.

Obrigado por ter ativado as notificações de Tech ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório