Meteorologia

  • 23 MAIO 2018
Tempo
21º
MIN 20º MÁX 21º

Edição

PS e direita chumbam voto do PCP a condenar ataque contra Síria

O parlamento chumbou hoje um voto que condenava o bombardeamento dos EUA, Reino Unido e França contra a Síria, a 14 de abril, e criticava a posição do Governo e do Presidente da República nesta questão.

PS e direita chumbam voto do PCP a condenar ataque contra Síria
Notícias ao Minuto

12:29 - 20/04/18 por Lusa

Política Parlamento

O voto teve os votos favoráveis do PCP, BE, PEV, as bancadas do PS, PSD e CDS votaram contra e o deputado do partido Pessoas-Animais-Natureza André Silva absteve-se.

O deputado do PS Pedro Bacelar de Vasconcelos apresentou uma declaração de voto.

O voto dos comunistas considerava que o ataque foi "uma flagrante violação e afronta à Carta das Nações Unidas e ao direito internacional" e exigia "o fim da agressão à Síria e o seu povo que resiste e luta em defesa".

O PCP repudiava também "a posição assumida pelo Governo português e o Presidente da República".

Os Estados Unidos, a França e o Reino Unido realizaram a 14 de abril uma série de ataques com mísseis contra alvos associados à produção de armamento químico na Síria, em resposta a um alegado ataque com armas químicas na cidade de Douma, Ghouta Oriental, por parte do Governo de Bashar al-Assad.

A ofensiva consistiu em três ataques, com uma centena de mísseis, contra instalações utilizadas para produzir e armazenar armas químicas, informou o Pentágono.

O Presidente dos EUA justificou o ataque como uma resposta à "ação monstruosa" realizada pelo regime de Damasco contra a oposição e prometeu que a operação irá durar "o tempo que for necessário".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.