Meteorologia

  • 25 ABRIL 2018
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 16º

Edição

Críticas a Cafôfo e Costa marcam plenário do parlamento madeirense

recente reunião do presidente da Câmara do Funchal com o primeiro-ministro, ocorrida na semana passada, foi hoje tema de debate no plenário do parlamento madeirense, com PSD e CDS-PP a criticar Paulo Cafôfo e António Costa.

Críticas a Cafôfo e Costa marcam plenário do parlamento madeirense
Notícias ao Minuto

16:12 - 17/04/18 por Lusa

Política Imprensa

Segundo o Jornal da Madeira, Paulo Cafôfo (eleito pela coligação PS/BE/JPP/PDR/Nós, Cidadãos!) reuniu-se na sexta-feira passada com António Costa com o objetivo de o sensibilizar para os problemas da Madeira e no fim do encontro anunciou que o Governo da República ia apoiar a construção do novo hospital do Funchal, há muito reivindicado.

Três dias depois, o presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque (PSD), esteve também reunido com António Costa em Lisboa.

Hoje, no plenário regional, o deputado do PSD Carlos Rodrigues disse que o primeiro-ministro "embarca em qualquer historieta e encenação", referindo-se ao encontro de António Costa com o autarca do Funchal, já apontado pelo PS/Madeira como candidato à chefia do Governo Regional em 2019.

"Cego pela sua ganância desmedida, [António Costa] dá cobertura a estes logros de sacristia, a estas armadilhas infantis, julgando conseguir retirar proveitos políticos para o seu partido e para os seus servos regionais", afirmou Carlos Rodrigues.

Para o deputado social-democrata, António Costa "não tem qualquer prurido em manchar as suas obrigações formais, em ofender o povo madeirense, desrespeitando as suas instituições democráticas de forma ostensiva e provocatória, numa tentativa desesperada de conquistar o poder na Região Autónoma da Madeira".

Apesar de ter chegado a descrever o encontro de sexta-feira como "hipotético", por "ter sido feito às escondidas, coberto de mistério e sem a presença comprometedora dos jornalistas", Carlos Rodrigues referiu que o presidente da Câmara Municipal do Funchal "não tem competência institucional e mesmo pessoal" para negociar com o Governo da República e acusou-o de "usurpação de funções".

Segundo o deputado regional, a inclusão do novo hospital no Programa de Estabilidade e Crescimento não se deve à ação de Paulo Cafôfo, até porque este plano foi aprovado em Conselho de Ministros no dia 12, quinta-feira.

Além disso, sublinhou, a indicação no documento sobre a nova unidade hospitalar "nada de novo traz", porque, "ao contrário de outras unidades hospitalares que apresentam passos concretos, a referência ao hospital da Madeira é exatamente igual ao disposto no Orçamento do Estado, com a menção de ainda estar em análise" e sem uma verba concreta atribuída.

O deputado do CDS-PP Rui Barreto também lembrou não haver "registos fotográficos" da reunião entre Paulo Cafôfo e António Costa, considerando que a Madeira irá entrar "para o Guinness Book pela pré-campanha eleitoral mais longa do mundo".

"Espero que se revejam nas brincadeiras políticas que levaram um presidente de Câmara ao beija-mão em Lisboa", disse, lamentando que os interesses dos madeirenses estejam a ser usados "como arma de arremesso" dos interesses políticos do PSD e do PS.

Rui Barreto aproveitou para anunciar que o CDS-PP vai agendar na Assembleia da República, ainda nesta legislatura, a proposta para revisão do subsídio de mobilidade aprovada por unanimidade na Assembleia Legislativa da Madeira.

Esta proposta define que o beneficiário pagará pelas viagens de avião, nas ligações com o continente, 86 euros, se for residente, e 65 euros, se for estudante.

O líder do grupo parlamentar do PS, Victor Freitas, afirmou, a propósito, que os deputados do PSD "exigem tudo a António Costa quando não exigiram nada a Passos Coelho".

Hoje o plenário discutiu ainda um projeto de decreto legislativo regional do PS para a "criação da comissão de acompanhamento para as alterações ao modelo de mobilidade aérea entre a região e Portugal continental".

Para Carlos Rodrigues, do PSD, a proposta socialista configura um "estratagema", quando já existe há mais de um ano uma proposta de revisão do subsídio de mobilidade na Assembleia da República.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.